REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Covid-19: Medvedev testou positivo, Rússia é agora o país com mais crescimento dia — Vadim lidera ’negacionistas do coronavírus’ 06 Maio 2020

O primeiro-ministro russo, recém-infetado com o novo coronavírus, é um dos mais de dez mil novos casos registados que colocam a Rússia nas primeiras horas de segunda-feira, 4, como o país do mundo com mais infeções nas últimas 24 horas. O país de Putin conta setenta e seis novos óbitos, número que o coloca na 3ª posição mundial, depois da Suécia que conta 90 e o México, com 93, nas últimas 24 horas.

Covid-19: Medvedev testou positivo, Rússia é agora o país com mais crescimento  dia  — Vadim lidera ’negacionistas do coronavírus’

A Rússia regista 155.370 casos confirmados, o que coloca o país na 8ª posição do nefasto ranking liderado pelos Estados Unidos. O país de Trump conta 71.309 dos 256.547 óbitos e 1.226.124 dos 3.705.896 casos confirmados em 212 países e territórios do mundo.

Os números estão constantemente a mudar, mas os da Rússia mostram que o país de Putin pode vir a ser o epicentro da doença fora dos Estados Unidos.

Entretanto, a continuação das medidas de quarentena faz erguer protestos. Como os da passada segunda-feira: um ajuntamento — "ilegal" também à luz das regras em vigor sobre o distanciamento social, a proibição de mais de cinco pessoas juntas, etc — foi protagonizado por uma multidão na cidade de Vladikavkaz, na Ossétia do Norte, no sul da Rússia.

Os vídeos online mostram primeiro um pequeno grupo de pessoas que, embora sem máscaras faciais e mais juntas do que os dois metros regulamentares, se manifestam pacificamente na icónica praça Svoboda (Liberdade) da capital da Ossétia do Norte. Ouvem-se slogans: "Temos de ganhar a vida", pedidos de regresso ao trabalho que se juntam a "Liberdade para Vadim".

Mas daí a pouco, a praça enchia-se com milhares de pessoas, com o mesmo propósito de pedir o levantamento da quarentena. Ao tentarem furar o cordão de segurança à volta do edifício governamental, entraram em confronto com as forças da ordem, lançaram pedras...

Vadim, líder dos "negacionistas do coronavírus"

O cantor de ópera Vadim Cheldiyev está detido desde a semana passada acusado de propagar notícias falsas sobre o coronavírus. Através de vídeos online, Vadim defende que "o coronavírus não é uma real ameaça".

Vírus sofreu mais de 30 mutações

Enquanto a verdade toda ainda deve demorar algum tempo até ser estabelecida, as notícias vão dando conta das descobertas que vão acontecendo.

As mutações do coronavírus foram primeiro apresentadas por uma equipa de Wuhan que descobriu dois tipos de coronavírus, um mais agressivo que outro. Isso foi em março.

Três semanas depois, a 21 de março, cientistas islandeses publicaram as conclusões de que havia na ilha três tipos de vírus segundo a origem geográfica. Um tipo tinha origem em Inglaterra, outro na Itália e o terceiro na Áustria.

Os dados provinham de 40 pessoas infectadas. Destas, sete tinham contraído o vírus durante uma partida de futebol na Inglaterra. Não foram indicados quantos tinham proveniência em cada um dos três países.

Mas os cientistas avançaram que tinham contado quarenta tipos de alterações do vírus, umas mais ligeiras, outras menos. Essas variações ocorriam por exemplo na transmissão entre membros duma mesma família.

Fontes: Worldometers/RT/Russia News/NY Post. Fotos AP: Multidão manifesta-se contra a continuação da quarentena, na última segunda-feira de abril. Atiraram-se pedras quando a polícia impediu o seu avanço contra o edifício governamental. (Foto inserta:) O então primeiro-ministro Putin e presidente Medvedev, em 24.set.2011, dia em que o congresso do ’Partido Rússia Unida’ aprovou a troca de funções entre ambos e que conduziria às suas atuais posições: Putin presidente e Medvedev primeiro-ministro .

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project