ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Covid-19: UNTC-CS quer a nacionalização da Cabo Verde Airlines 14 Agosto 2020

A União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS) acusou hoje o Governo de financiar empresas privadas e “falidas” e incitou-o a nacionalizar a Cabo Verde Airlines (CVA) que se encontra numa situação muito difícil.

Covid-19: UNTC-CS quer a nacionalização da Cabo Verde Airlines

Para a secretária-geral da UNTC-CS, o Estado não pode continuar a injectar o dinheiro dos contribuintes numa empresa privada e que tem estado em incumprimento com os seus trabalhadores, revela a Inforpress.

Joaquina Almeida que falava à imprensa à margem da visita que efectuou à Empresa Nacional de Produtos Farmacêuticos (Emprofac), considerou que a Lofleidir Cabo Verde, actual dona da CVA e detentora de 51% da transportadora, colocou o Governo contra a parede.

Segundo avançou, o vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, disse que o Estado na financia empresas, mas agora está a financiar as privadas e “falidas”, medida essa, que considera de “mais grave”, porque “o dinheiro dos contribuintes vai directamente para a Islândia”.

“O Governo deve começar a procurar o melhor parceiro, um bom administrador e quiçá nacionalizar e tornar a empresa cabo-verdiana para avançar, porque a situação está muito difícil e a empresa não pode ficar como está”, defendeu.

Questionada sobre a segunda fase do regime simplificado de suspensão de contrato de trabalho (‘lay-off’), a sindicalista mostrou-se preocupada, considerando que poderá haver uma terceira fase, tendo em conta que a situação está cada vez “mais difícil”, o número de casos no País tem aumentado e muitos cabo-verdianos não estão a cumprir com as recomendações das autoridades sanitárias.

“A nossa preocupação é que a segunda fase do regime ‘lay-off’ deveria abranger, não só as empresas ligadas ao turismo de restauração, mas que fosse mais transversal como da primeira fase”, sublinhou Joaquina Almeida, que considerou que a lei actual é muito mais incisiva e proíbe o despedimento.

Apesar do Governo ter promovido essa medida, para a sindicalista, a mesma fica muito aquém do desejado, informando que tem recebido muitas queixas dos trabalhadores.

“Na ilha da Boa Vista o problema é muito mais grave, sendo que os trabalhadores estão abandonados, sem nenhum apoio, a ilha não tem nenhuma representação da Direcção-Geral do Trabalho, nem da Inspecção geral do Trabalho, e a única estrutura do estado que é a Procuradoria-Geral que não tem vindo a apoiar os trabalhadores”, acrescentou a SG de UNTC-CS citada pela Inforpress.

De realçar que no mês de Junho, o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, tinha dito que o Governo tem todo o interesse em manter a Cabo Verde Airlines, mas indicou que a nacionalização da empresa está fora dos planos do Executivo cabo-verdiano.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project