REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Covid-19: Um em cada cinco cabo-verdianos rejeita tomar vacinas e pede mais informação 07 Maio 2021

Um total de 70% dos cabo-verdianos tomaria as vacinas contra o novo coronavírus, enquanto 19% rejeitava, pedindo mais informação sobre as mesmas, concluiu um estudo apresentado hoje pelo Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) do país.

Covid-19: Um em cada cinco cabo-verdianos rejeita tomar vacinas e pede mais informação

Realizado em dezembro de 2020, o segundo estudo do género no país teve, segundo a Lusa, uma amostra de 2.754 pessoas, de âmbito nacional, como uma abordagem do meio rural e urbano e abrangeu a faixa etária dos 12 aos 95 anos.

Conforme o INSP, mais de 90% da população cabo-verdiana sabem que qualquer pessoa pode ser infetada pelo novo coronavírus e 92% conhecem os principais sintomas provocados pela doença.

No mesmo sentido, mais de 90% conhece as principais medidas de prevenção contra a infeção, como uso de máscaras, distanciamento social e lavagem das mãos.

Outro dado constatado no inquérito é que 60% da população cabo-verdiana sabe o que é a infeção, mas ainda 18% dos inquiridos afirmaram que o coronavírus que causa a doença covid-19 é uma arma biológica ou castigo divino.

A população rural está menos informada de que a urbana, indicou o estudo, dando conta que 85% reconhece que a luta contra a covid-19 é uma responsabilidade individual e que 11% dos inquiridos diagnosticados não informaram os contactos sobre a sua infeção por causa de medo e do estigma.

Em dezembro de 2020, altura em que foi feito o estudo no terreno, as pessoas eram favoráveis ao estado de emergência (72%) e 73% referiram que a pandemia afetou a sua vida família, social e económica.

Na altura, nove meses após o início da pandemia em Cabo Verde, 40% dos inquiridos revelaram que tinha medo, ainda segundo o mesmo inquérito, que em relação às atitudes, mostrou que mais de metade da população ao sair de casa, leva a sua máscara, mas ainda cerca de 16% dizem que só a usa às vezes.

Segundo o mesmo documento citado pela Lusa, mais de 90% da população reconhece que o distanciamento social é fundamental para reduzir o número de casos, mas quando perguntados se o têm feito sempre, apenas 38% responderam que sim.

Quando questionados se nos sete dias antes do inquérito participaram em atividades com aglomeração, cerca de 30% afirmaram que sim, disse o instituto cabo-verdiano.

Na altura da recolha dos dados, mais de 80% da população estava de acordo com as medidas adotadas pelo Governo para controlar a pandemia e 16% aprovaram as medidas, mas pensavam que pode ser feito mais.

"As mulheres têm comportamentos mais assertivos, ou seja, cumprem mais as medidas. As pessoas no meio urbano cumprem mais as medidas do que as pessoas no meio rural. As pessoas idosas também cumprem mais do que os jovens", ressaltou o INSP.

Conforme ainda a fonte referida, o estudo revelou ainda que os cabo-verdianos têm um bom nível de conhecimento sobre a covid-19, mas sublinhou que precisam praticar mais as medidas preventivas.

O inquérito para testar o nível de conhecimento dos cabo-verdianos sobre a pandemia foi realizado pelo Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP), em parceria com a OMS, UNICEF e o Instituto Nacional de Estatísticas (INE), refere a Lusa.

Cabo Verde regista um total de 25.837 casos positivos acumulados de covid-19 desde o início da pandemia, dos quais 231 resultaram em óbitos, há 22.323 casos considerados recuperados e contabiliza 3.268 casos ativos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.258.595 mortos no mundo, resultantes de mais de 155,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project