INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Covid-19 de 2ª vaga no Japão: Em campanha pró-turismo de nacionais, poder local exclui turistas da capital com novo surto 18 Julho 2020

Os dirigentes dos governos locais, em especial os mais conhecidos destinos turísticos do Japão, muitos deles sem registo de casos, temem que a afluência de visitantes nacionais vindos de grandes áreas urbanas — como Tóquio, onde ontem e hoje, 6ª fª, se registou um novo aumento, de 286 e 293 casos de Covid-19 — faça aumentar localmente os casos de infeção do coronavírus. Em caso da doença, alegam governadores e autarcas, os serviços de Saúde locais não têm capacidade de resposta porque estão mal equipados.

Covid-19 de 2ª vaga no Japão: Em campanha pró-turismo de nacionais, poder local exclui turistas da capital com novo surto

O governo do primeiro-ministro Shinzo Abe surpreende-se com a resposta dos dirigentes locais à campanha recém-anunciada, acompanhada de uma verba de 16 milhões de dólares, destinada a promover o turismo interno.

Dirigentes locais, entre os quais alguns dos que primeiro acolheram a ideia com ambas as mãos, agora estão a criticar a decisão do governo de lançar no próximo dia 22 a sua "Campanha Viajem (no país)", no momento em que se regista uma segunda vaga de casos de coronavírus.

A campanha pelo turismo interno concebida como um grande estímulo à economia foi inicialmente planeada para arrancar no início de agosto. O governo defende que o melhor momento para promover o turismo interno é agora, poucos dias antes do mês em que decorre o ’Bon do Verão’, período de feriados longos que permitem ao residente nas grandes metrópoles visitar a terra de origem e ou onde vivem os parentes.

Mas há dirigentes locais, como os governadores de Yamagata, Yamaguchi, Okayama, Osaka — este, Hirofumi Yoshimura, que na quarta-feira verbalizou a sua preocupação num encontro com o primeiro-ministro —, que têm reticências ao programa tal como está e propõem limitá-lo a destinos mais próximos e em tempo faseado.

"Creio que, nesta situação, seria melhor se o programa tivesse um início faseado, e não ao mesmo tempo como se está a querer", disse a governadora de Yamagata, Mieko Yoshimura. "Vai contribuir para a economia, mas eu não posso concordar com o timing".

A afinar pelo mesmo diapasão, presidentes de pequenos municípios como Nara e Mutsu (entre 50 mil e 60 mil habitantes), respetivamente Motonobu Nakagawa e Soichiro Miyashita, criticam veementemente a decisão do governo. Era "preferível um arranque parcial do programa e limitá-lo a certas áreas, tendo em conta o risco de infeções", disse Nakagawa ao Japan News.

"Pessoas a residir na área de Tóquio podiam aproveitar a campanha para visitar o município mais próximo, Kanagawa. Primeiro, os vizinhos e a depender da evolução da pandemia, estender a campanha a todo o país", disse o governador de Osaka na quarta-feira, depois de ter encontrado o primeiro-ministro.

Segunda vaga

Os novos casos de coronavírus, que a governadora de Tóquio (foto à direita) anunciou ontem, seguem a tendência iniciada em 24 de junho — dia que marca o ressurgimento da segunda vaga, com 55 novos casos --- e que desde a semana passada tem vindo a atingir recordes diários (nesta 2ª vaga).

Yuriko Koike disse aos jornalistas que a área metropolitana da capital realizou o número diário mais alto de sempre de testes. São mais de quatro mil testes de PCR-Reação em cadeia de polimerase (uma técnica usada para produzir várias cópias de um gene, o que permite estudar melhor o vírus).

Além disso, segundo a governadora, o resultado é publicado em tempo recorde de três dias.

A possibilidade de acionar o alerta vermelho está iminente, admitiu a governadora de Tóquio no momento em que a área metropolitana está sob alerta laranja, relativo aos cuidados hospitalares disponíveis para os infetados.

Mais positivos entre jovens

A segunda vaga, diferente da primeira que atingiu os mais idosos, está — como revelam os testes positivos — a afetar jovens assintomáticos ou com sintomas ligeiros. O estilo de vida, com saídas noturnas e sem distanciamento social, é um fator crucial nestes casos. Entre eles, os oitocentos jovens, entre atores e público do teatro Shinjuku, Tóquio, que foram testados esta semana.

Também está limitada à área metropolitana de Tóquio — que abarca os municípios de Kanagawa, com um recorde de 47 casos ontem, Saitama e Chiba — e esporadicamente o município de Osaka (onde os 66 casos ontem são o registo mais alto desde que, a 24 de maio, foi declarado o fim do estado de emergência nacional), as bases militares dos Estados Unidos o município de Okinawa.

Letalidade: Japão 8, Cabo Verde 34

O Japão com 22.890 infeções, 985 óbitos e uma taxa de letalidade de 8 está muito melhor posicionado que Cabo Verde. O nosso país regista quase duas mil infeções (1.894 até 5ªfª, 17), 19 óbitos e 34 quanto à taxa de letalidade — medida em número de óbitos por milhão de habitantes.

...

Fontes: Japan Times/Reuters... Fotos(AFP, JIJI): 1. Japão promove turismo nacional em tempos de pandemia. 2. Yuriko Koike, governadora de Tóquio mostra ’Alerta de propagação da infeção’ durante conferência de imprensa na 4ªfª,15.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project