LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Covid-19 no Brasil: "Sou Messias, mas não faço milagres" — Maioria está ainda por Bolsonaro 30 Abril 2020

A maioria dos brasileiros, entrevistados para a sondagem Datafolha, continua do lado do seu presidente que continua a minimizar a seriedade da pandemia do coronavírus enquanto o número de óbitos ultrapassou ontem os da China, epicentro do surto. A falta de empatia de Jair Messias Bolsonaro expressa-se na frase do título, durante a conferência de imprensa de ontem (28).

Covid-19 no Brasil:

50% dos brasileiros estão contra a renúncia do presidente Bolsonaro e 46% acham que ele deveria renunciar, mas estes números representam uma queda de 9% na aprovação em relação à sondagem do início de abril.

48% não querem que o Congresso Nacional abra um processo de impeachment (destituição) contra o presidente. 45% aprovam o impeachment e 6% não souberam responder.

A sondagem realizou-se após os pronunciamentos "insensíveis" do presidente que, confrontado com o número crescente de óbitos, 5.466 na última contagem —além dos mais de 78 mil casos confirmados de infeções —, tem dado respostas como "Não sou coveiro", "O que é que eu posso fazer?", "Sou Messias, mas não faço milagres".

Saídas de Mandetta e Moro

A saída do "muito apreciado" ministro da Saúde, Mandetta, teve uma repercussão súbita desfavorável a Bolsonaro. Mas o efeito não durou: duas semanas depois não tem efeitos sobre a aprovação do presidente.

Sobre a troca de acusações entre Bolsonaro e Moro, o Datafolha perguntou: Quem fala mais a verdade: Moro ou Bolsonaro? 52% consideram que é Moro contra 20% por Bolsonaro. 19% não souberam responder, seis por cento não acreditam em nenhum dos dois, três por cento acham que ambos, Moro e Bolsonaro, estão certos.

Sobre a acusação por Moro de que Bolsonaro queria interferir na Polícia Federal, 56% acreditam em Moro e aprovam o seu pedido de demissão. São apenas 28% os que acham que Bolsonaro não queria intervir na PF e que Moro fez mal em pedir demissão. 12% não sabem e 4% são indiferentes.

Números do coronavírus: Trump sugere cancelar voos com Brasil

O presidente dos Estados Unidos disse ontem que acompanha ’de perto’ o ’surto sério’ do novo coronavírus no Brasil e sugere suspender voos.

Trump afirmou que o avanço da pandemia de Covid-19 no Brasil tomou um rumo diferente, em comparação com outros países da América do Sul.

Por isso, em diálogo com os governadores norte-americanos de Nova Iorque e Flórida, Estados de maior presença brasileira, Trump admite a suspensão de voos entre os 2 países.

O governador DeSantis, porém, já disse que pretende manter os dois atuais voos semanais saídos de Miami e Fort Lauderdale para o Brasil.

Fontes: G1/Folha de São Paulo/LA Times/ NY Post. Relacionado: Covid-19: Ministro da Saúde está a despedir-se — "Brasileiro não sabe se ouve o ministro ou o presidente", diz Mandetta, 17.abr.020; Covid-19 faz colidir Bolsonaro e Mandetta sobre uso da cloroquina e distanciamento social — País precisa de médicos cubanos forçados a sair, 11.abr.020. Foto: Trump recebeu "o seu muito bom amigo" Jair Bolsonaro e o filho, Eduardo Bolsonaro, em março de 2019.LS

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project