MÚSICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cremilda Medina. Classificação da morna será mais uma atracção para o mundo vir conhecer Cabo Verde 11 Dezembro 2019

A intérprete de morna Cremilda Medina disse acreditar que a classificação da morna a património cultural imaterial da humanidade será mais uma atracção para o mundo vir conhecer Cabo Verde, as suas raízes e a suas tradições.

Cremilda Medina. Classificação da morna será mais uma atracção para o mundo vir conhecer Cabo Verde

Confiante de que no dia 12, o Comité Intergovernamental do Património Cultural Imaterial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), que está reunido em Bogotá, na Colômbia, irá decidir pela ratificação do dossiê da candidatura da morna, Cremilda Medina disse à Inforpress de que essa distinção será uma “grande alegria” para todos os cabo-verdianos, principalmente os compositores e intérpretes desse estilo.

“Será mais uma atracação para o mundo vir conhecer Cabo Verde, as nossas raízes e as nossas tradições, uma vez que a morna representa a identidade e o sentimento cabo-verdiano. Recebermos essa distinção é mais um carimbo no nosso passaporte cabo-verdiano e uma grande prenda de Natal”, disse.

Para a detentora do troféu “Best World Music” (música internacional) da International Portuguese Music Awards (IPMA), com o tema “Nôs Morna” do compositor Manuel d’Novas, após essa classificação o maior desafio é continuar com esta promoção, dar oportunidade aos novos criadores, compositores e intérpretes.

Este género que era conhecido na voz de “grandes nomes” da música cabo-verdiana como Cesária Évora, Bana, Ildo Lobo, hoje em dia, observou, tem surgido novos jovens intérpretes que querem cantar morna.

Neste sentido, defendeu que é preciso dar oportunidade a esses jovens para que possam dar seguimento a essa cultura e a essa tradição, uma vez que, acredita que dando esta oportunidade a cultura cabo-verdiana ficará “muito mais rica”.

“Espero que esse reconhecimento seja uma porta aberta para reconhecer o trabalho de outros jovens e darmos continuidade a nossa tradição”, sublinhou.

Instado a cometar sobre as mornas que mais gosta de interpretar, Cremilda Medina diz que não há uma em especial porque gosta de todas, principalmente aquelas que falam de amor.

Entretanto, considerou que as que falam de perdas são mais difíceis de interpretar porque a carga de sentimento é “mais pesada” e isso a torna “mais emotiva” na hora de interpretá-las.

Com quase 20 anos a interpretar a morna, conforme disse, foi um percurso difícil, mas que aos poucos conseguiu vencer.

“Não é fácil estar a cantar (…) e as pessoas começarem a dizer que não gostam deste estilo e levantarem-se e irem-se embora e a casa ficar, praticamente, vazia. Mas, hoje estar ali a cantar e ver que hoje a morna está a concorrer e irá ser reconhecida pela Unesco para mim é um sentimento inexplicável”, desabafou.

Cremilda Medina promete continuar a dar o seu contributo para a promoção da morna e levar a alma do povo cabo-verdiano a diversos palcos do mundo, sempre com a mesma alegria e determinação.

“Hoje, sinto-me mais abençoada, mais brindada, mais contente e mais valorizada. Fico muito contente quando vou a um lugar e as pessoas sabem o que é que vão ouvir, a morna. O que eu digo as pessoas a morna vai a todas as partes do mundo”, frisou.

Cremilda Medina vai estar no dia 12, no Centro Cultural Cabo Verde em Portugal, numa sessão musical acompanhada de Humberto Ramos e banda, para celebrar o Dia Nacional da Morna, assinalado no dia 03 de Dezembro, e ao mesmo tempo celebrar a classificação da morna.

Cabo Verde formalizou a entrega do dossiê de candidatura da Morna a Património Cultural Imaterial da Humanidade a 26 de Março de 2018, sendo que para o processo foram integradas todas as ilhas de Cabo Verde, visto que a representação da Morna merece que se englobe todo o povo cabo-verdiano.

A 08 Novembro, o ministro da Cultura e Indústria Criativas, Abraão Vicente, anunciou que o comité técnico dos peritos da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) havia aprovado o dossiê da Morna a Património da Humanidade.

A ratificação do dossiê da morna será conhecida no dia 12, durante a 14ª reunião Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, que está a decorrer deste segunda-feira, em Bogotá, Colômbia.

O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, que é também presidente da Comissão Nacional da Unesco (CNU), está acompanhado de uma comitiva que integra o presidente do Instituto do Património Cultural, Hamilton Jair Fernandes, a secretária executiva da CNU, Carla Palavra, e a coordenadora do dossiê de candidatura da morna, Sandra Mascarenhas. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project