NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Criminalidade em São Vicente e no Sal : Prisão para mãe que obrigava filha menor prostituir-se, TIR para homem acusado de vários crimes de violência à ex-companheira 14 Novembro 2019

O Tribunal da Comarca de São Vicente decreta prisão preventiva para uma mãe que obrigava, com maus tratos, a filha prostituir-se, não deixando esta menor frequentar a escola. Já nos Espargos –Sal, um homem de 35 anos foi aplicado TIR-Termo de Identidade e Residência por estar fortemente indiciado na prática de três crimes de Violência Baseada no Género (VBG) contra sua companheira, na sua forma agravada.

 Criminalidade em São Vicente e no Sal : Prisão para mãe que obrigava filha menor prostituir-se, TIR para homem acusado de vários crimes de violência à ex-companheira

Em comunicado, a Polícia Judiciária, referindo-se ao caso de São Vicente, informa que, através do Departamento de Investigação Criminal do Mindelo (DICM), deteve, na sexta-feira, 08, fora de flagrante delito, um indivíduo do sexo feminino, residente em Fonte Francês, suspeito da prática de um crime de lenocínio e de um crime de maus tratos a menor.

«Segundo consta, a suspeita obrigava a filha de 14 anos a prostituir-se, não a deixando frequentar mais a escola, tendo, inclusive, a feito deslocar-se à ilha de Santo Antão com o objetivo de encontrar-se com clientes», lê-se na nota que a PJ remeteu ao Asemanaonline.

Conforma a mesma fonte, a detida foi presente, no tempo legal, ao Tribunal da Comarca de São Vicente, que lhe aplicou, como medida de coação, Prisão Preventiva.

No tocante ao crime da violência doméstica, a Polícia Judiciária confirma que, através do Departamento de Investigação Criminal do Sal (DICS), deteve, no sábado, 09, fora de flagrante delito, no bairro de Ribeira Funda – Espargos, um indivíduo do sexo masculino, de 35 anos, por estar fortemente indiciado na prática de três crimes de VBG, na sua forma agravada.

«O suspeito, com antecedentes criminais pela prática de crimes da mesma natureza, pelos quais foi julgado e condenado em 2016 na pena de reclusão, suspensa, entretanto, na sua execução por um período de quatro anos, vinha agredindo física e psicologicamente à sua ex-companheira, entre agosto e setembro de 2019», diz o comunicado da PJ.

A Judiciaria revela que o detido foi presente, na segunda-feira, 11, ao Tribunal da Comarca do Sal, que lhe aplicou, como medidas de coação, TIR-Termo de Identidade e Residência, apresentação periódica junto das autoridades judiciárias, interdição de saída e proibição de contato com a vítima.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project