ESCREVA-NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Crónica (I) de fuga à França: Advogado Amadeu Oliveira descreve a longa viagem para entregar o acusado Arlindo Teixeira à família na cidade MOSSELE - FAMECK depois de longos interrogatórios da polícia 29 Junho 2021

Num tom muito emocionante, o advogado Amadeu Oliveira narra a viagem da sua fuga à França com o acusado Arlindo Teixeira. Num email que partilhou, através do WatsApp de um jornalista de Asemanaonline e várias outras entidades, reportou, na manhã de hoje (11h38) que a polícia francesa os meteu num TGV- comboio ultra veloz no GARR DE LEST, seguindo em direção à fronteira entre Luxemburg e França rumo à cidade de MOSSELE - FAMECK, onde as cinzas dos restos mortais dos pais de Arlindo Teixeira foram depositados. « Daqui a 3 horas enviarei fotografia da entrega do Arlindo aos irmãos e aos restos mortais do Pai e da Mãe que faleceram recentemente, como prova que não deixei o Arlindo suicidar-se ou morrer em Cabo Verde, tal como eu prometi 5 anos atrás. DEPOIS DISSO, vou dormir 48 horas seguidas para recuperar do desgaste físico e psicológico, antes de apanhar o primeiro avião que houver de regresso à Lisboa e logo de seguida à cidade da Praia para ir entregar a minha cabeça naquele Maldito e Criminoso SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE CABO VERDE e para ir prestar esclarecimentos ao Presidente da Assembleia Nacional e ao Presidente da UCID». Acompanhe a crónica de Amadeu Oliveira, que publicamos a seguir.

Crónica (I) de fuga à França: Advogado Amadeu Oliveira descreve a longa viagem para entregar o acusado Arlindo Teixeira à família na cidade MOSSELE - FAMECK   depois de longos interrogatórios da polícia

A policia francesa vai nos meter num TGV- comboio ultra veloz no GARR DE LEST e vamos para a fronteira entre Luxemburg e França para irmos a cidade de MOSSELE - FAMECK, onde as cinzas dos restos mortais dos Pais de Arlindo Teixeira foram depositados. Eu tinha prometido aos seus Pais, quando ainda estavam vivos, que eu haveria de tirar o seu filho da Cadeia e ir devolver à sua família. Infelizmente ambos os Pais acabaram por falecer recentemente e agora vou entregar o filho perante os restos mortais dos Pais. Tarde, muito tarde, mas vou cumprir a minha palavra com 5 anos e 10 meses de atraso, que é o tempo que já decorreu desde que Arlindo foi preso a 31 de Julho de 2018.

Só estamos à espera de um pequeno Documento de uma única página, para eu provar que estivemos no COMISSARIAT GENERAL DA POLICIA DE PARIS, e que fomos interrogados durante todo o dia de hoje, 28 de Junho de 2021, e que depois fomos liberados para irmos para onde desejarmos, contando com apoio policial, caso for necessário.

O início do dia foi muito forte, porque a Polícia foi buscar no Hotel BASTILLE com um excesso de aparato - Polícia Especial de Intervenção- por uma questão de cautela, mas ao longo do interrogatório, tudo ficou esclarecido e resolvido.

Daqui a 3 horas enviarei fotografia da entrega do Arlindo aos irmãos e aos restos mortais do Pai e da Mãe que faleceram recentemente, como prova que não deixei o Arlindo suicidar ou morrer em Cabo Verde, tal como eu prometi 5 anos atrás.

DEPOIS DISSO, vou dormir 48 horas seguidas para recuperar do desgaste físico e psicológico, antes de apanhar o primeiro avião que houver de regresso à Lisboa e logo de seguida à cidade da Praia para ir entregar a minha cabeça naquele Maldito e Criminoso SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE CABO VERDE e para ir prestar esclarecimentos ao Presidente da Assembleia Nacional e ao Presidente da UCID.

Enviarei fotos de entrega de Arlindo Teixeira dentro de 3 horas.

Amadeu Oliveira

(Diretamente da França)

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project