REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

’Decano da Humanidade’ extinguiu-se ao completar 112 anos, 11 meses e 18 dias 26 Fevereiro 2020

Chitetsu Watanabe, o japonês de 112 anos — nasceu em 5 de março de 1907 — que há menos de duas semanas recebeu o galardão de ’Decano da Humanidade’ (foto), morreu no domingo, 23, no lar de idosos onde vivia.

’Decano da Humanidade’ extinguiu-se ao completar 112 anos, 11 meses e 18 dias

O "Guiness Book of Records" reconheceu-lhe o estatuto de supercentenário há apenas duas semanas, o que indica o quanto o processo é sensível, sobretudo depois que uma alegada investigação russa pôs em causa a longevidade de Jeanne Calment, a mulher certificadamente mais longeva em toda a história.

Nessa ocasião, em que recebeu o galardão (foto), o supercentenário japonês ao ser inquirido sobre o segredo da longevidade, respondeu: "Nunca me zango e mantenho sempre um sorriso". Ajudado decerto pelo facto de ser um ávido consumidor de guloseimas, como acrescentou.

O homem que se segue é o também japonês Issaku Tomoe, de 110 anos, mas falta certificar se ele o é a nível mundial.

A supercentenária absoluta, supercentenária dos supercentenários, continua a ser Kane Tanaka, nascida em 2 de janeiro de 1903. Ela substituiu no título a também japonesa Chiyo Miyako, que faleceu aos 117 anos em 22 de julho de 2018.

Com 117 anos, a decana dos decanos é certificada como a nona pessoa mais idosa do mundo em toda a história da humanidade.

Fontes: Japan Times/Le Figaro. Relacionado: 122 anos de Jeanne Calment, recorde de longevidade desafiado por investigação russa, 15.fev.019. Foto (AFP).

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project