ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Demissão do director-geral do Ensino Superior deve-se à necessidade de reestruturação do serviço – secretária do Estado 09 Novembro 2022

A secretária de Estado do Ensino Superior, Eurídice Monteiro, confirmou hoje que o Governo decidiu demitir o director-geral do Ensino Superior, Aquilino Varela, por entender que é necessário fazer reajustes e reestruturar o serviço.

Demissão do director-geral do Ensino Superior deve-se à necessidade de reestruturação do serviço – secretária do Estado

A garantia foi dada pela governante esta manhã, durante uma conferência de imprensa, sobre o lançamento da 2ª edição dos Prémios Científicos 2023, ao ser questionada sobre o que estará na base da exoneração de Aquilino Varela.

Nós temos neste momento um processo que é normal dentro da Administração Pública, temos um departamento governamental que trabalha com a dimensão do ensino superior, atendendo à necessidade sobretudo de reestruturação do serviço, entendemos que deveríamos dar por fim a comissão de gestão do director-geral do Ensino Superior e iniciar o contacto com o novo”, referiu.

A secretária de Estado disse ainda que os departamentos governamentais têm autonomia para fazer reajustamento e entendeu que este é o momento exacto devido à conveniência de serviço.

Eurídice Monteiro considerou que se trata de um processo “normal” e que não há nenhum tipo de embaraço institucional.

Segundo o jornal online, Santiago Magazine, Aquilino Varela foi demitido a quatro meses do fim do mandato. Fontes próximas do Palácio da Várzea afirmam que os frequentes posts publicados por este dirigente na sua página pessoal do facebook, onde normalmente lança olhares críticos sobre a política nacional, estarão na base dessa decisão do Ministro da Educação, Amadeu Cruz.

A secretária de Estado do Ensino Superior enviou-me um email a avisar sobre a minha demissão, com efeitos a partir de 15 deste mês”, informa, acrescentando que o seu contrato só terminaria em Março de 2023.

Ainda, segundo o mesmo, com essa demissão, o Governo vai ter que pagar as indemnizações, as férias não gozadas e os salários respeitantes aos meses que faltam para a caducidade do contrato.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project