SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

NOSI: Denúncia de «trabalho escravo» no Data Center 21 Julho 2021

Dois cidadãos guineenses, que prestam serviço na recepção do Dater Center do Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSI), na Praia, na qualidade de contratados desde 2016, laboram praticamente num regime de «trabalho escravo». A denúncia parte de um quadro conhecedor dos meandros dessa situação, para quem « os dois cidadãos, que sofrem calados por medo de perderem o emprego, estão a trabalhar mais do 70 horas por semana» . O pior, acrescente a mesma fonte que procurou este jornal, é que a Inspeção Geral de Trabalho (IGT) já confirmou tais irregularidades no local, mas o NOSI não cumpre a lei que estabalece 48 horas de trabalho semanal.

NOSI: Denúncia de «trabalho escravo» no Data Center

Segundo a fonte que pediu anonimato, esses dois indivíduos, de nacionalidade guineense, trabalham uma média de 72 horas semanais, quando a lei contempla 42 horas para o mesmo período. Ou seja, conforme o informante deste jornal, no turno diário, entram e trabalham das 8 até às 18 horas, somando um total de 10 horas seguidas. Já no período da noite, laboram das 18 às 8 horas do dia seguinte, perfazendo 14 horas contínuas de trabalho.

Face a tudo isto, o denunciante alerta tratar-se de uma situação grave, que configura «trabalho escravo». Revela que os dois trabalhadores sofrem calados, por medo de perderem o emprego. Mas eles «desabafam que não têm vida, porque praticamente não têm tempo para descansar e nem fazer outra coisa» – faltam beneficiar de folgas como estão previstas na lei.

Inspecção e postura do NOSI

O Asemanaonline apurou que foi accionada a Inspecção Geral do Trabalho que esteve no local, onde detectou as irregularidades referidas. «Mas só que, até agora, o NOSI ainda não resolveu este problema», avança o informante referido.

Abordado por este jornal de referência, o Inspector-geral do Trabalho adiantou que não tinha conhecimento de que o NOSI não tinha resolvido o problema. Anildo Fortes prometeu que a IGT vai novamente notificar o Núcleo Operacional da Sociedade de Informação para que cumpra, de forma regular, o horário de trabalho estipulado na lei em vigor em Cabo Verde.

É de salientar que o Data Center do Estado de Cabo Verde, gerido pelo NOSi ( www.nosi.cv), presta os mais modernos serviços de processamento e armazenamento de dados nas modalidades de Cloud Services, Hosting e Housing, às empresas e entidades nacionais e internacionais.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project