INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Deputado iraniano anuncia recompensa de três milhões de dólares para "quem matar Trump" 22 Janeiro 2020

Um deputado iraniano propôs, esta terça-feira, uma recompensa de três milhões de dólares a "quem matar (Donald) Trump", vingando a morte do general Qassem Soleimani assassinado recentemente em Bagdad por ordem do presidente norte-americano, indicou a agência Isna.

Deputado iraniano anuncia recompensa de três milhões de dólares para

Deputado iraniano anuncia recompensa de três milhões de dólares para
“Damos três milhões de dólares (cerca de 2,7 milhões de euros) a quem matar Trump”, declarou no parlamento Ahmad Hamzeh, citado pela Isna.

Segundo a agência do parlamento iraniano, Icana, Hamzeh disse fazer a oferta em nome dos “três milhões de habitantes de (província de) Kerman”, no sudeste do Irão e terra natal de Soleimani.

O que era o principal general do Irão, comandante da Força Quds, encarregada das operações externas dos Guardas da Revolução, foi morto a 3 de janeiro num ataque norte-americano junto ao aeroporto de Bagdad e enterrado na cidade de Kerman na noite de 7 para 8 de janeiro.

Hamzeh não deu quaisquer informações sobre como contava financiar a recompensa.

Questionado sobre a recompensa em Genebra, o embaixador norte-americano na Conferência do Desarmamento Robert Wood classificou de “ridículas” as declarações do deputado iraniano.

“É simplesmente ridículo. Mas dá uma ideia das raízes terroristas deste regime e este regime deve mudar o seu comportamento”, disse.

A tensão entre o Irão e os Estados Unidos tem vindo a subir desde que Washington abandonou unilateralmente em maio de 2018 o acordo nuclear internacional com a República Islâmica e restabeleceu sanções que prejudicam gravemente a economia iraniana.

No início do mês, os Estados Unidos e o Irão pareceram próximos de um confronto militar direto.

Ao ataque a Soleimani, arquiteto da influência regional iraniana, Teerão respondeu cinco dias mais tarde disparando mísseis contra bases iraquianas com soldados norte-americanos.

No mesmo dia, o Irão abateu “por erro” um avião ucraniano, que acabava de deslocar do aeroporto Teerão, matando as 176 pessoas a bordo, a maioria iranianos e canadianos. A Semana com a Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project