CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Dia do Município da Praia: Bancada Municipal do MpD destaca ganhos e PAICV pede mais atenção à área social 19 Maio 2020

A bancada municipal do MpD avaliou positivamente a governação municipal que alcançou nos últimos anos “ganhos visíveis” para o desenvolvimento do município da Praia e a do PAICV defendeu a necessidade de se reforçar as políticas para a área social.

Dia do Município da Praia: Bancada Municipal do MpD destaca ganhos e PAICV pede mais atenção à área social

A representante da bancada municipal do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Silvina Andrade, em declarações à Inforpress, a propósito do dia do Município que se celebra hoje, destacou a importância do dia 19 de Maio para o concelho da Praia, tendo entretanto lamentado que este ano, devido à pandemia do novo coronavírus, as actividades comemorativas foram suspensas.

No dia em que se comemora o dia do município da Praia, reconheceu a evolução da cidade que tem registado nível de desenvolvimento de acordo com as circunstâncias, mas que ainda falta muito por fazer, isto tendo em conta que alberga um número considerado de pessoas e as decisões municipais devem acompanhar o seu crescimento económico.

Avaliando o desenvolvimento e a implementação de políticas por parte da edilidade praiense, afirmou que o município tem evoluído, graças ao esforço dos diferentes autarcas que estiveram à frente da câmara e dos sucessivos governos que contribuíram para o desenvolvimento da cidade.

Para a bancada municipal do PAICV, a habitação social é uma das áreas que deve ser priorizada e reforçada com medidas assertivas, com vista a ajudar as famílias mais vulneráveis, frisando que a edilidade praiense deveria apostar na reabilitação de várias moradias sem condições de habitabilidade.

“Há necessidade de reorganização da cidade, queremos frisar a questão dos assentamentos informais, construções clandestinas, no sentido de se reformular o processo de legalização dos terrenos, ter um politica social onde são atribuídos terrenos às pessoas de baixa renda por aforamento”, apontou, lembrando que autarquia da Praia tem atribuído terrenos que não combinam com o rendimento das pessoas mais desfavorecidas.

E a problemática das construções clandestinas no concelho da Praia persiste ainda, de acordo com Silvina Andrade, porque a CMP abandonou a politica de atribuição e vendas por aforamento.

E no contexto da pandemia do novo coronavírus que afecta o país, em particular a cidade da Praia, que tem registado mais casos, disse que a distribuição das cestas básicas por parte da autarquia local não é suficiente, isto tendo em conta o número de habitantes.

Por seu turno, a representante da bancada municipal do MpD, Filomena Delgado, deu nota positiva ao desempenho da câmara municipal no que se refere à implementação das políticas municipais, considerando que a Praia se tornou numa cidade mais atractiva e dinâmica.

“O MpD tem feito, ao longo dos vários mandatos, um programa de governação municipal e podemos dizer de facto que grande parte desse programa foi executado. Basta ver por exemplo as obras de requalificação urbana levadas a cabo pela autarquia, a área social com intervenções muito importantes para as classes mais vulneráveis”, destacou.

Filomena Delgado afirmou que no decorrer dos anos, a Praia conquistou um patamar elevado a nível da cultura, criando assim uma agenda cultural rica e dinâmica e contribuindo no desenvolvimento de Cabo Verde.

Além da área cultural, referiu, a autarquia tem “apostado fortemente” no desporto e na criação de infra-estruturas desportivas, destacando, por outro lado, a “Praia uma cidade planeada e inclusiva”, “cidade competitiva e aberta ao mar” e “cidade comprometida com o ambiente” como três principais eixos da governação criados para aumentar a auto-estima dos munícipes.

“A Praia é neste momento uma cidade mais atractiva, limpa, dinâmica, quer dizer que há um desenvolvimento importante do município e temos que continuar a trabalhar. É claro que ainda há coisas por fazer, há mais ruas por calcetar em diferentes bairros, e necessidade de se continuar a fazer os trabalhos de drenagens nas encostas, mas o que se fez é de se reconhecer e louvar”, declarou, frisando que os três principais eixos precisam ainda ser trabalhados e melhor consolidados. C/ Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project