AMBIENTE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Director do Ambinte: Estudo revela que 20% das espécies em Cabo Verde estão ameaçadas 23 Maio 2019

Cerca de 20% das espécies existentes em Cabo Verde estão ameaçadas, e 78% da flora endémica estão em vias de extinção, revelou hoje à Inforpress, o director nacional do Ambiente, Alexandre Nevsky.

Director do Ambinte: Estudo revela que 20% das espécies em Cabo Verde estão ameaçadas

Na óptica deste responsável, o facto de Cabo Verde ser um país constituído por ilhas, a sua biodiversidade está ameaçada, sobretudo as várias espécies que estão limitadas a pequenos espaços e uma determinada região do país, nomeadamente as aves, plantas e moluscos quer a nível terrestre como do mar.

Em declarações à Inforpress, no âmbito do Dia Internacional da Biodiversidade, celebrado hoje, sob o lema “Nossa biodiversidade, nossa comida, nossa saúde”, revelou que os dados oficiais de 2015 indicam que de uma forma geral 20% das espécies em Cabo Verde estão ameaçadas e que o último estudo sobre a flora terrestre revela que 78% da flora endémica está ameaçada de extinção, números esses que, no seu entender, são preocupantes e exigem medidas que garantam a sua protecção.

Segundo Alexandre Nevsky, uma das maiores ameaçadas tem a ver com introdução de espécies exóticas que não são desta região e têm um cartacter invasor e capaz de sufocar e são trazidas intencionalmente ou de forma ocasional.

No seu entender, é necessário reforçar também o controlo das fronteiras no sentido de tentar evitar a entrada dessas espécies, sendo certo que podem chegar a Cabo Verde também através do mar.

“A degradação do habitat que acontece de várias formas, a nossa acção do dia-a-dia com ocupação de espaço inapropriado para a agricultura, para construção, para deitar lixos, escombros e o facto de não se cuidar do local são formas que constitui também uma ameaça para esta espécie”, indicou o director que considerou que neste sector há mais oportunidade de trabalhar.

Entretanto, assegurou que neste momento estão a trabalhar em conjunto com o Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA) na criação de uma base de dados da biodiversidade e dos investigadores existentes no país, tendo sublinhado que a nível da flora e da fauna há ainda muito a ser explorado.

Por outro lado, considerou que é preciso ainda reforçar a concertação não só através da administração central ou do Estado, mas também de toda a sociedade civil.

O Dia Internacional da Biodiversidade foi proclamado pelas Nações Unidas a 22 de Maio de 1992, e visa alertar a população para a necessidade e importância da conservação da diversidade biológica.

Em Cabo Verde a data será marcada com palestras nas escolas em todas as ilhas que irá debruçar-se sobre o lema deste ano “Nossa biodiversidade, nossa comida, nossa saúde”, refere a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project