POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Eleições presidenciais: Carlos Veiga admite decidir sobre candidatura presidencial depois de deixar cargo de embaixador 03 Abril 2019

Carlos Veiga admitiu à Inforpress, que quando deixar o cargo de embaixador tomará uma decisão sobre uma eventual candidatura ao cargo de Presidente da República e que, a acontecer, será antes das eleições legislativas de 2021.

Eleições presidenciais: Carlos Veiga admite decidir sobre candidatura presidencial depois de deixar cargo de embaixador

“Alguns colegas seus já afirmaram que eu disse que ia. Não foi isso”, explicou Carlos Veiga em entrevista à Inforpress, acrescentando que quando se lhe perguntou que condições punha para se candidatar a inquilino do Palácio do Platô, respondeu que está “sempre ao serviço de Cabo Verde”.

“Não dependo de condições que me sejam impostas. Dependo de mim mesmo e das decisões que tomo de uma forma livre a independente”, precisou, adiantando que também necessitará de falar com a sua família, amigos sobre o assunto e, na altura própria, tomará uma posição.

Carlos Veiga fez essas declarações à Inforpress, à margem da primeira Conferência Ministerial sobre Turismo e Transportes Aéreos em África, que decorreu de 26 a 29 de Março na cidade turística de Santa Maria, ilha do Sal, em que participou na qualidade de representante de Cabo Verde junto da Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO-sigla inglesa), com sede no Canadá.

À pergunta se o apoio do Movimento para a Democracia (MpD-poder) pode impulsionar a sua candidatura, respondeu nesses termos: “Não é isto que interessa. O candidato presidencial tem que decidir se vai ou não vai de forma independente…Uma decisão dessa não pode ser tomada depois das eleições legislativas. Quem deixar para tomar uma decisão a seis meses de eleições presidenciais, penso que não quer candidatar-se”.

“Depois de deixar o cargo de embaixador, independentemente do que esteja previsto, e do que aconteça em termos de eleições legislativas, terei que tomar uma posição”, explicitou Veiga que não esconde que tem sido “pressionado” por alguns sectores do MpD e da sociedade civil no sentido de se candidatar às presidenciais de 2021.

No entanto, foi dizendo ao jornalista que ninguém vai exercer pressão sobre ele, quer pelo bem, quer pelo mal.

José Maria Neves pode participar na corrida à chefia do Estado

Por sua vez, o também antigo primeiro-ministro José Maria Neves já admitiu que há uma “forte possibilidade” de concorrer às próximas eleições presidenciais em Cabo Verde, embora seja ainda, a seu ver, “cedo para declarar uma candidatura”.

“É uma forte possibilidade a minha candidatura à Presidência da República. É claro que esta candidatura dependerá de vários aspectos que têm a ver com a evolução política do país, com as eleições que teremos e como estará Cabo Verde dentro de dois anos”, declarou José Maria Neves.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project