LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

ENTREVISTA: PRS quer que PR guieense “tenha coragem” de demitir membro do Governo alegadamente envolvido no tráfico de droga 16 Novembro 2022

O presidente em exercício do Partido da Renovação Social (PRS) da Guiné-Bissau, Fernando Dias, instou o Presidente do país para que “tenha coragem” de demitir o membro do Governo alegadamente envolvido no tráfico de droga.

ENTREVISTA: PRS quer que PR guieense “tenha coragem” de demitir membro do Governo alegadamente envolvido no tráfico de droga

Se se confirmar que um dos membros do Governo está envolvido na questão da droga, o Presidente da República deve ter a coragem para mandar embora essa pessoa do Governo porque o Governo, o Estado, é pessoa de bem”, defendeu o jurista Fernando Dias, de 44 anos.

Numa entrevista à Lusa para se posicionar sobre a situação geral do país, Fernando Dias, antigo ministro da Administração Territorial até sair do Governo, em junho passado, numa clara divergência com o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, exige do executivo a apresentação de um relatório sobre a situação de tráfico de droga no país.

O dirigente referia-se aos áudios vazados nas redes sociais e amplamente comentados nos órgãos de comunicação social guineenses que apontavam que alguns membros do Governo estariam alegadamente envolvidos no tráfico de droga.

Quando ouvimos a polémica pedimos ao Governo da Guiné-Bissau a apresentação de um relatório preliminar sobre a investigação. Não podemos ter uma situação do género que vem ao público através dos órgãos de comunicação social e o Governo não se dignou em pronunciar-se ao público para apresentar o relatório preliminar sobre a versão daquilo que se está a falar nos bastidores”, afirmou Fernando Dias.

O líder em exercício do PRS, terceira força mais votada nas últimas eleições legislativas na Guiné-Bissau, sublinhou que por enquanto aguarda pela versão oficial do Governo, mas desde já defendeu que o seu partido condena o tráfico de droga e qualquer envolvimento de elementos ligados ao aparelho de Estado naquele crime.

O nome do dirigente do PRS, Augusto Kaby, antigo secretário de Estado da Ordem Pública, demitido do Governo pelo chefe de Estado no passado mês de outubro, foi citado nos alegados áudios vazados nas redes sociais, um facto que Fernando Dias desvaloriza.

O líder em exercício do PRS disse que vai aproveitar a próxima audiência com o chefe de Estado para questionar os motivos da demissão de Kaby e a extinção do cargo que aquele ocupava no Governo.

Fernando Dias frisou que o PRS quer compreender se realmente há ou não uma vontade de esclarecer o caso de tráfico de droga na Guiné-Bissau, envolvendo, alegadamente, membros do Governo.

“O nosso militante Augusto Kaby, que era secretário de Estado da Ordem Pública, pelo conhecimento, foi incumbido da investigação sobre o caso de droga ao nível do Governo e de repente foi demitido. O motivo da demissão não conhecemos, mas não ficamos preocupados”, sublinhou Fernando Dias.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project