INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

EUA: "4 de Julho, independência, livres de Covid", promete Biden — Anúncio pró-vacina junta 04 ex-presidentes (fora Trump) 13 Mar�o 2021

O presidente Joe Biden dirigiu-se à nação estado-unidense ontem, no seu primeiro grande discurso televisivo, e afirmou-se esperançoso em que o país pode "celebrar a independência" face à Covid-19 em 04 de julho, o Dia da Independência .... se as pessoas aderirem ao programa de vacinação. Ante o considerável número de vacinocéticos no país, um em cada cinco americanos segundo os estudos realizados, vem aí uma grande campanha em que todos os quatro presidentes vivos, exceto Trump, apelam à vacinação.

EUA:

Biden disse que está a fazer todos os esforços para que todos os seus concidadãos, segundo o plano vacinal por grupos prioritários, como os anciãos com mais de 75 anos, estejam vacinados até ao primeiro dia de maio. Nessa data, arranca o plano vacinal para todos os adultos, afirmou Bush.

A perspetiva é otimista, tanto que se pode tê-la por irrealista no contexto em que um dos obstáculos é precisamente a desconfiança ante a vacinação que há décadas vem sendo desconstruída por grupos diversos, com motivação diversa de cariz religioso, (pseudo-)cientifico, ideológico, etc. É um fenómeno que nos Estados Unidos atinge hoje um número estimado de 70 milhões de pessoas.

Para ajudar o presidente Joe Biden — o da esperança democrática após os "quatro terríveis anos" do 45º presidente a quem se atribui a "catastrófica gestão da pandemia" —, saiu à liça uma equipa formada por Barack Obama, George W. Bush, Bill Clinton, Jimmy Carter e respetivas primeiras-damas, Michelle Obama, Laura Bush, Hillary Clinton e Rosalynn Carter.

Oito vozes de peso na sociedade americana para desmontar o discurso anterior e convencer os reticentes a vacinarem-se.

Acelerar é preciso

Ao ritmo atual, os Estados Unidos só teriam a sua população (contados os vacinocéticos) vacinada em ... 2022.

Veja-se: em 14 de dezembro arrancou o programa vacinal e, prestes a completar três meses, o número de 80 milhões de doses administradas — segundo dados oficiais coligidos pelo CDC — está abaixo das expetativas.

Com apenas 15,9% da população total dos Estados Unidos vacinada, é pessimista a perspetiva de atingir-se a meta dos prometidos "cem milhões de vacinados em 100 dias". Nem tão-pouco toda a população estará vacinada antes do outono.

A esperança está, pois, em acelerar o "vacinar é preciso", a tarefa hercúlea em que muitos são chamados a juntar as mãos, sob o incentivo de oito pesos-pesados da persuasão. Isto, no momento em que os casos médios diários (a oscilar entre 9 mil e 90 mil) vão diminuindo mas continua-se a atingir em média diária cinco mil óbitos (em vinte e quatro horas) no país mais afetado. Hoje regista perto de 30 milhões de infeções e de 550 mil óbitos.

Fontes: CNN/ NY Times/Washington Post... Fotos (Getty): Presidente Biden com mensagem otimista e ... irrealista. Ou talvez se realize com o incentivo dos ex-presidentes todos juntos : James Carter (1977-81), Bill Clinton (1993-2001), George Bush (2001-09) e Obama (2009-17).

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project