INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

EUA: 6 senadores republicanos votaram com 50 democratas pelo "impeachment" —Defesa de Trump arrasada 10 Fevereiro 2021

A votação ontem por 56 votos permite prosseguir com o julgamento para destituir o ex-presidente. A destituição porém parece fora do alcance dos seus proponentes democratas, já que nada indica que vão conseguir mais onze votos para atingir os dois-terços do Senado.

EUA: 6 senadores republicanos votaram com 50 democratas pelo

Os senadores republicanos que votaram a favor da constitucionalidade do julgamento são: Susan Collins, Maine; Bill Cassidy, Louisiana — único que mudou o voto do 1º julgamento, em 13 de janeiro; Lisa Murkowski, Alaska; Mitt Romney, Utah; Ben Sasse, Nebraska; Pat Toomey, Pennsylvania.

Na hora do balanço do primeiro dia do julgamento, muitos foram os que criticaram a equipa de defesa de Trump enquanto teciam elogios à apresentação dos proponentes democratas: "Fizeram uma boa introdução com argumentos muito fortes" sobre a tentativa de reverter os resultados eleitorais de 03 de novembro.

A apresentação em vídeo continha uma síntese da invasão ao Capitólio em 6 de janeiro, com os momentos-chave: a agressão aos polícias na primeira barreira, aos gritos "Trump" Trump!", o vandalismo nas instalações enquanto a turba prosseguia em direção ao plenário onde decorria a discussão preparatória para a certificação dos resultados eleitorais de 03 de novembro.

Os proponentes do processo "estavam focados, bem organizados" , "foram convincentes, ao contrário da equipa do presidente Trump", disse em depoimento à CNN o senador da Louisiana.

"Desorganizados, falaram sobre tudo exceto do que estava na mesa. E quando decidiram entrar no mais importante, ainda assim fizeram-no sem convicção, como se eles próprios não acreditassem nos seus próprios argumentos".

Na mesma linha de Cassidy, a também republicana Lisa Murkowski expressou "um grande espanto com a apresentação do primeiro advogado", Bruce Castor. "Não se conseguia perceber qual era o seu objetivo. Esteve assim 45 minutos a andar às voltas, sem ir a lado nenhum, sem nos ajudar a perceber a sua posição sobre a inconstitucionalidade". A senadora do Alasca tem melhor opinião sobre a apresentação de David Schoen "Fez um trabaho melhor, mas a equipa perdeu com oportunidade devido ao seu primeiro advogado".

A apresentação de Castor foi muito criticada. Não só politólogos mas também senadores republicanos expressaram espanto pela mudança que o levou a antecipar Schoen, como inicialmente previsto.

"Trump estava quase aos gritos enquanto ouvia Castor, que não conseguiu convencer o Senado sobre a inconstitucionalidade de julgar o presidente que deixou o cargo", segundo a "fonte próxima do presidente" referiu à CNN.

Fontes: Washington Post/N Y Times/. Relacionado: EUA: 2º ’impeachment’ a Trump começa hoje, 09.fev.021; EUA: 11 republicanos votaram com democratas no Congresso pela expulsão ’inédita’ de MTG por discursos de ódio, apelos à violência, incitamento à invasão ao Capitólio a 6 de janeiro, 05.fev.021. Foto: Mãos à cabeça, a beber água, o advogado de Trump David Schoen terá desviado as atenções da oportunidade perdida ao trocar com o colega a apresentação. Schoen devia ser o primeiro a apresentar a defesa da tese da inconstitucionalidade do processo. A troca com colega arrasou a defesa no 1º dia.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project