REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

EUA:Depois de perder a maioria no Congresso, quem vai ser o escudo do Presidente Trump? 07 Novembro 2018

Depois de oito anos nas mãos dos republicanos, os democratas conseguiram recuperar a maioria na Câmara dos Representantes. Um resultado que pode ter sérias implicações no mandato presidencial de Trump.

EUA:Depois de perder a maioria no Congresso, quem vai ser o escudo do Presidente Trump?

É noticia do dia que, a partir de agora, Trump não terá a maioria republicana para o proteger contra investigações judiciais e os democratas estão ansiosos para examinar à lupa muitas das questões que envolvem o atual presidente dos Estados Unidos da América. Desde as declarações de impostos que Donald Trump manteve em segredo, até aos laços que mantém com a Rússia, passando por vários conflitos de interesses.

"O Governo estará sob maior escrutínio e terá de prestar contas perante uma Câmara dos Representantes democrata", disse o ex-deputado republicano Tom Davis, do estado da Virgínia, ao The New York Times, citado pela TSF.

"Não me interessa. Eles podem fazer tudo o que quiserem e eu posso fazer tudo o que eu quiser", disse Trump, esta semana, quando questionado sobre as consequências de uma possível vitória dos democratas nestas eleições intercalares.

No entanto, a situação pode mesmo ser mais complicada do que Donald Trump quer admitir. O facto do Partido Democrata ter agora vencido em estados como o Kansas e Michigan - os quais foram ganhos por Trump, nas eleições presidenciais de há dois anos - pode mesmo complicar (senão comprometer) as hipóteses da reeleição do presidente norte-americano em 2020.

Em caso extremo, uma Câmara dos Representantes democrata poderá mesmo conseguir o ’impeachment’ do presidente - dependendo dos resultados da investigação à interferência russa nas presidenciais norte-americanas, que conduziram à eleição de Donald Trump.

As hipóteses de Trump ditadas pela História

Durante a campanha eleitoral, Trump considerou as eleições como um referendo à sua presidência, apelando aos eleitores que votassem nos republicanos para poder continuar as suas políticas - passando a ideia de que, perante uma vitória do Partido Republicano, o mérito seria seu. Porém, nos últimos dias, afirmou que a História estava contra si, uma vez que a maioria dos presidentes perdia assentos na Câmara dos Representantes nas eleições intercalares - deste modo, escusando-se a responsabilidades perante a eventual derrota dos republicanos.

Tanto Bill Clinton (em 1994) como George W. Bush (em 2006) e Barack Obama (em 2010) perderam a Câmara dos Representantes para a oposição, enquanto presidentes. No entanto, Bill Clinton e Barack Obama ganharam vantagem política com a oposição direta na Câmara e foram, depois, reeleitos para segundos mandatos na presidência.

Os analistas políticos norte-americanos notam que também Donald Trump tem ganho mais vantagem quando tem um alvo político a combater.

"Provavelmente não haverá nada que ajude mais as perspetivas de reeleição do Presidente do que ter Nancy Pelosi [a líder democrata na Câmara dos Representantes) como interlocutora", afirmou Marc Short, antigo diretor legislativo da Casa Branca ao serviço de Trump.

Apesar de tudo, Donald Trump não enfrenta o pior cenário possível. Os republicanos ainda mantêm o Senado - que pode bloquear a legislação hostil que os democratas queiram aprovar na Câmara dos Representantes, prevenindo que Trump tenha de usar o seu poder de veto e arriscar o seu nome pessoal em matérias políticas mais sensíveis ou controversas, refere a TSF que cita as fontes referidas.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project