MUNDO INSÓLITO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

EUA: 53 vítimas, 5 mortais por ’rapper’ que acelerou sobre a multidão 23 Novembro 2021

A tarde de domingo, na principal avenida da cidade de Waukesha no Wisconsin em clima de festa, começou com a população a assistir ao regressado desfile de Natal. Mas em poucos segundos a alegria foi cortada por um jipe em alta velocidade que acelerou em direção a um grupo de pessoas que dançavam. Registam-se cinco mortes, uma delas é uma criança. Entre os quarenta e oito feridos da contagem de terça-feira 23, registam-se duas crianças em estado crítico dentre as dezoito tratadas no hospital.

 EUA: 53 vítimas, 5 mortais por ’rapper’ que acelerou sobre a multidão

O condutor, Darrell Brooks conhecido como rapper MathBoiFly, que "tem antecedentes criminais" vai responder por cinco homicídios de 1º grau, vitimando três idosas do grupo de dança "Dancing Grannies/Avós Dançarinas", um homem de 81 anos e uma criança, segundo escreve o New York Times na edição desta terça-feira 23.

A suspeita de atentado no Waukesha Christmas Parade desde logo se levantou, dado o Wisconsin ter sido palco recente de violência num contexto conflitual em que se destaca a divisão entre ’brancos’ e ’pretos’ (violência exacerbada na era de Trump; ver link no fim).

Horas depois, a polícia dizia em conferência de imprensa que estão a seguir várias pistas e que uma era consistente com "um acidente", já que o condutor declarara à polícia que "estava a fugir de uma briga com facas" e perdeu o controlo do jipe provocando a trágica morte de cinco pessoas. Entre os mais de quarenta hospitalizados, incluindo uma criança de três anos, os ferimentos sofridos variam em graus de gravidade.

Na segunda-feira a polícia avançou os primeiros dados da investigação que apontam para o crime intencional, planeado para o desfile — com canções de Natal, atuações de alunos e grupos de várias idades — que há décadas leva centenas de famílias, milhares de pessoas à principal artéria comercial da cidade de Waukesha.

Questiona-se o motivo para a polícia, presente para garantir a segurança, não ter reagido por forma a evitar o massacre. A justificação parece ser de ordem regulamentar: as polícias em certos Estados têm instruções para não atirar contra viaturas em movimento a não ser que "alguém dentro do veículo esteja a ameaçar a vida de outrem com força mortal que não a do veículo".

"Achava que o conhecia"

A namorada do suspeito de 39 anos (foto à d.ta), citada sem revelar o nome, declarou à polícia a sua surpresa: "Achava que o conhecia. Nunca pensei que ele fosse capaz de uma coisa destas".

Contudo, Brooks — que momentos antes da tragédia tinha saído dum incidente doméstico que envolveu ameaça com uma "arma branca" — tem, segundo a polícia, vários antecedentes criminais e neste 11-11 foi libertado da prisão enquanto espera ser julgado por ter perseguido o carro da ex-companheira e mãe do filho.

Essa recente libertação, no dia 11 do corrente, está sob investigação, disse o porta-voz da PGR. Em causa, a fiança de mil dólares, um valor "indevidamente baixo" perante a gravidade da acusação.

Fontes: Sky News/BBC/NY Times/WNBC-Twitter. Relacionado: EUA: Tribunal inocenta Rittenhouse que matou 2 homens desarmados nos protestos de Kenosha — Polícia que deixou Jacob Blake paralisado "não irá a tribunal", 20.nov.021. Fotos: Uma festa comunitária — tão ansiada após a pausa do ano passado devida à Covid — que acabou em tragédia. O perpetrador do massacre.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project