REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

EUA-’Linchado’ Ahmaud Ar­bery: 3 condenados em julgamento ’histórico’ após protestos — Magistrada presa por negligência 28 Novembro 2021

O Ahmaud Arbery, de 25 anos, que a mãe viu sair de casa como todas as tardes para fazer jogging, não voltou no dia 23 de fevereiro de 2020, porque foi baleado até à morte por um grupo que alegou ’legítima defesa’. Um caso de "linchamento moderno" na Geórgia que historicamente até 1968 realizou uma média anual de 12 mortes em que as vítimas foram negros (90%). Esta quinta-feira, um júri de onze ’brancos’ (90%) e um ’negro’ fez história ao condenar três homens pelo assassínio a sangue-frio do jogger desarmado.

EUA-’Linchado’ Ahmaud  Ar­bery: 3 condenados em julgamento ’histórico’ após protestos — Magistrada presa por negligência

Segundo declarou o pai de Ahmaud Arbery, o filho tinha sido estrela de futebol no liceu e "exercitava ao fim do dia saindo para uma corrida e exercícios". Mas nesse 23 de fevereiro não regressou a casa. Tinha sido morto com três tiros numa perseguição por um grupo de três homens em dois carros. "Perseguiram-no como a um animal e mataram-no, só porque estava a fazer jogging", segundo a mãe de Ahmaud disse ao tribunal esta semana.

Gregory McMichael, o filho Travis e o vizinho "Roddie" Bryan, de 65, 35 e 52 anos envolvidos no homicídio só foram detidos quase três meses depois do crime, ao fim de semanas de protestos. Entretanto o vídeo que Bryan gravou e publicou, para apoiar a ’legítima defesa’ dos três, circulava na internet.

A acusação baseou a motivação racista no facto de Travis McMichael usar um insulto racial dirigido a Ahmaud Arbery, estendido no chão após o atingir com três balas. Os três réus negaram ser racistas.

Os dois McMichaels e Bryan declararam ser inocentes e que usaram o seu direito de ’legítima defesa’ e de "detenção de um suspeito", segundo a lei vigente na Geórgia desde a Guerra da Secessão, há mais de século e meio.

Pai e filho foram buscar as armas e perseguiram Ar­bery como suspeito de ser o ladrão que alegaram ter estado ativo na vizinhança — mas o tribunal apurou que só tinha havido um caso de desaparecimento duma pistola que Travis deixara na viatura aberta.

O vizinho Bryan juntou-se-lhes e filmou tudo. O vídeo mostrou Travis McMichael a disparar sobre Ar­bery quase à queima-roupa enquanto Ar­bery procurava agarrar a arma.

Travis McMichael declarou ao tribunal que foi em ’legítima defesa’, a pensar no seu filho que ia ficar sem o pai, que disparou sobre Arbery que o ia desarmar e matar. Mas o procurador rebateu que Arbery não tinha nenhum registo de crime, que era estudante de um curso de eletricidade numa escola superior profissionalizante.

Procuradora entrega-se

A procuradora da comarca de Brunswick, Jackie Johnson de 49 anos(foto), foi processada por alegada violação dos seus deveres de servidor público, por ter negligenciado a entrega dos suspeitos dentro do prazo no caso de homicídio de Ahmaud Arbery. Estaria a protegê-los? Ela alega que não.

A mãe de Ahmaud chegou a pedir que ela fosse responsabilizada por "obstruir o curso da Justiça". "Ela tem de ser presa, sim".

A procuradora apresentou a demissão e entregou-se à prisão. Foi libertada sob fiança de dez mil dólares.
...
Fontes: Washington Examiner/BBC/CNN. Fotos: Protestos levaram à abertura do processo contra os três assassinos que de outra forma podiam abrigar-se sob uma lei de 1860, vigente na Geórgia. Vítima. Acusados. Procuradora.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project