INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

EUA: Democratas tentam adiar julgamento no Senado, para ter tempo de incluir "testemunhas-chave" bloqueadas por Trump 21 Dezembro 2019

Nancy Pelosi na quinta-feira, 19, anunciou que só vai enviar ao Senado os dois pontos da acusação — que sustentam o pedido de ’impeachment’ a Trump — quando tiver "garantias de um julgamento justo" e para isso o Partido Democrata mexeu-se para que as quatro testemunhas bloqueadas por Trump possam vir a ser ouvidas no julgamento no Senado.

EUA: Democratas tentam adiar julgamento no Senado, para ter tempo de incluir

Nancy a liderar o processo contra Trump joga uma cartada arriscada que pode decidir a vitória dos democratas: ter os quatro funcionários da Casa Branca — que foram impedidos de testemunhar no Congresso — a depor no Senado. Os quatro têm conhecimento direto do telefonema decisivo entre Trump e o presidente ucraniano Zelensky, durante o qual este teria sido pressionado para investigar os Biden.

A líder democrata procura criar "condições justas" no Senado sabendo que é pírrica a vitória obtida na véspera, na Câmara dos Representantes (Congresso) dominada pelo Partido Democrata. Vitória de pirro porque efémera, já que o Senado, instância dominada pelo Partido Republicano, é que vai ter a última palavra sobre se Donald Trump vai ser o primeiro presidente destituído, no 245º aniversário dos Estados Unidos da América.

Trump por seu lado rodeou-se de apoiantes, num comício em Battle Creek, Michigan marcado para o dia, 4ªfª 18, em que era julgado no Congresso. Ao apurar-se o resultado da votação, 230-197 e 229-198, Trump dirigiu-se aos seus apoiantes com um "Ganhei! Tive três Democratas a votar em mim". Uma verdade relativa, como mostra o quadro da votação na foto.

Factos são factos: após mais de oito horas de debate, dois democratas opuseram-se ao artigo sobre abuso de poder, os republicanos opuseram-se em bloco e o artigo passou com 230 votos favoráveis e 197 contra. Na votação do segundo artigo, um terceiro democrata juntou-se aos republicanos na oposição e a votação terminou com 229 a favor e 198 contra.

Sintomático da divisão partidária reinante é o como votaram democratas e republicanos. De entre os duzentos e trinta e três democratas 230 votaram "sim", dois "não" pelo primeiro artigo e um pelo segundo, enquanto que do lado dos republicanos (com um total de 197 assentos) todos os presentes votaram "não".

O quadragésimo-quinto presidente foi condenado na primeira instância, o processo sobe ao Senado e será esta instância a decidir se Donald Trump deve ser destituído.

Muito improvável, pois, que a América que ’inventou’ o impeachment (destituição presidencial, consagrada na Constituição) — como meio de responsabilizar o chefe de Estado prevaricador na gestão da República — venha a ter finalmente a sua primeira destituição presidencial. Depois de falharem as três tentativas de deposição por impeachment, que visaram os democratas Andrew Johnson e Bil Clinton e o republicano Richard Nixon, irá Trump ser o primeiro impeached?

Fontes: Washington Post/DW.de/Times of Israel/Le Monde. LS. Foto (New York Times) Nancy Pelosi no Congresso, 5ªfª, 19 — numa batalha para obter testemunhos de funcionários da Saca Branca diretamente envolvidos no telefonema Trump-Zelensky — , procura ganhar tempoantes de mandar os dois pontos da acusação de impeachment ao Senado.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project