INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

EUA e aliados perdem comando mundial, diz Irão — Israel avisa Biden: "Haverá guerra entre Israel e Irão se reativar o Acordo de 2015" 08 Novembro 2020

A hegemonia ocidental terminou, disse na quinta-feira em Caracas o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif. "Hoje, os Estados Unidos e aliados já não podem controlar o que acontece no mundo. Perderam o controlo". Na véspera, o executivo de Netanyahu avisou Biden: "Haverá guerra entre Israel e Irão, se reativar o Acordo Nuclear de 2015".

EUA e aliados perdem comando mundial, diz Irão — Israel avisa Biden:

O presidente iraniano numa emissão televisiva no sábado, 7, exortou o "novo presidente dos Estados Unidos a respeitar os compromissos assumidos e que foram rasgados no último mandato", por Donald Trump.

"Os iranianos enfrentaram com coragem as duras sanções impostas pelos EUA nos últimos três anos", destacou o presidente. "A decisão do nosso país foi sempre clara e continuaremos a resistir e a dar provas de paciência sejam quais forem as circunstâncias, até que o outro lado se incline perante a lei", rematou Rouhani.

Dias antes, na noite da eleição presidencial dos Estados Unidos, o aiatola Ali Khamenei — em discurso televisivo comemorativo do assalto à embaixada americana em Teerão em 04.11.1979 e subsequente crise dos reféns — ridicularizou o processo eleitoral, ao repetir a acusação de fraude eleitoral feita pelo presidente Donald Trump.

Khamenei, que é o Líder Supremo da República Teocrática Xiita do Irão, destacou no entanto que" independentemente de quem ganhar", "não vamos mudar nem uma linha da política diplomática", pois "o Irão não depende de quem entra ou sai do poder no Ocidente".

O discurso de Khamenei contraditava assim a acusação — proferida dois dias antes pelo FBI que disse ter provas de que o Irão, tal como a China, estava a procurar interferir na eleição presidencial.


Israel divide-se sobre alerta a Biden para não renovar Acordo

Já na quarta-feira, o governo do Estado de Israel não se coibiu de alertar o provável presidente eleito sobre o perigo de a sua intervenção levar a "uma guerra Israel-Irão", dado que enquanto vice-presidente (2008-16) "Biden é um dos autores do Acordo Nuclear com o Irão" e que expressou a intenção de o reativara pós Trump o ter anulado.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu sempre se opôs ao Acordo que a administração Obama assinou em 2015, considerando-o um "erro". "Se o Biden continuar na mesma linha política, haverá uma violenta confrontação entre Israel e o Irão", disse em nome do governo Tzachi Hanegbi, ministro dos Territórios Ocupados".

Entendimento diferente tem o presidente da comissão parlamentar para a Defesa e Negócios Estrangeiros, Zvi Hauser: "Tenho a certeza de que com a renovação do Acordo será muito melhor do que o anterior, que como é consensual, tinha muitas lacunas, contra os interesses do mundo livre".

Hauser defende pois a renovação do Acordo de 2015 "que não foi suficiente para impedir o Irão de desenvolver armas nucleares". "Hoje o Médio Oriente é muito diferente comparado ao tempo de Biden que saiu em 2016". "É muito mais perigoso, o Irão tem armas e tecnologia mais avançadas e letais. Logo este não é um problema só de Israel, mas do mundo inteiro".

Fontes: Jerusalem Post/IRNA/AP/Al Jazeera. Fotos: O aiatola Ali Khamenei. O presidente Hassan Rouhani.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project