ANÚNCIOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

EXTRATO DE JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL 2ª Publicação 01 Agosto 2022

— - CERTIFICO, para efeito de segunda publicação nos termos do disposto no artigo 100º do Código do Notariado, aditado pelo Decreto-Lei n.º 45/2014, de 20 de Agosto, B.O. nº 50 – Iª Série, no dia vinte o mês de julho do ano dois mil e vinte e dois, nesta Cidade de Nova Sintra e na Conservatória dos registos e Cartório Notarial da Região de Segunda Classe da Brava, perante mim, Maria José Barros Lopes, Conservadora/Notária P/S. foi lavrada no livro de notas para escrituras diversas número dez/A, de folhas setenta e oito verso à oitenta frente, a Justificação Notarial, na qual

EXTRATO  DE JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL 2ª Publicação

Paulo Domingos Gomes Rodrigues, identificação fiscal número um, zero, três, nove, um, zero, dois, nove, oito, casado, natural da freguesa de São João Baptista, concelho e ilha Brava, residente em mato Grande, Brava, titular do cartão nacional de identificação número um, nove, seis, sete, zero, oito, dois seis, M, zero, zero, um, A, emitido pela República de Cabo Verde, que outorga em representação, na qualidade de procurador de de Lúcio Joaquim de Almeida, casado com Beta Gomes Almeida, natural da freguesia de São João Baptista, concelho e ilha da Brava, residente no Estados Unidos de América, declara que o seu representado é dono e legitimo possuidor com exclusão de uma casa, inscrito na matriz predial de freguesia de São João Baptista, sob o n.º 287/0, omisso nesta Conservatória.--------------------Que, o referido prédio veio a posse do seu representado por herança do seu falecido pai, que por sua vez tinha-o herdado de Luis Lopes Vicente, e que os restantes irmão venderam as suas quotas partes ao justificante no ano de mil novecentos e noventa e oito.---------------------------------------------------------------------
Que, não possui qualquer título que legitime o direito de propriedade que se arroga sobre o referido prédio.-------------------------------------------------------------------------
Que, a referida compra foi celebrada por contrato meramente particular, procedimento este comum à data, e por essa razão o contrato não foi legalmente formalizado.----------------------------------------------------------------------
Que o seu representado entrou na posse do referido prédio, à vista de todos, posse essa pacífica, contínua e pública, sem interrupção e ostensivamente com conhecimento de toda a gente, suportando todos os encargos dai decorrentes pagando as respectivas contribuições e impostos, pelo que adquiriu o seu direito de propriedade por usucapião, o que invoca para efeitos de primeira inscrição no registo predial.-------------------------------------------------------------------------------------------------- Os potenciais interessados têm um prazo de quarenta e cinco dias a contar da segunda e última publicação para eventual impugnação.------------------------------------
ESTÁ CONFORME.----------------------------------------------------------------------------
- Nova Sintra e conservatória dos Registos e Cartório Notarial da Região de Segunda Classe da Brava, doze do mês de julho do ano de dois mil e vinte e dois.----------------

Reg. Sob o n.º ----/2022 A Conservadora/Notária P/S
Art. 20.º 4.2……………………. 1.000$00
Selo do acto……………………… 200$00
Soma:……………………………1.200$00 /Maria José Barros Lopes/

https://www.asemana.publ.cv/IMG/pdf/extraco_publicacao_de_paulo-3.pdf

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project