SERÁ NOTÍCIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Eco Feminismo-Cabo Verde promove conversa aberta sobre sobre "Água & Género: O papel da hidro-diplomacia nas mudanças climáticas” 12 Dezembro 2020

O Eco Feminismo-Cabo Verde realizou, esta sexta-feira, 11, a última sessão do ciclo de debates do ano 2020 sob o tema “Água & Género: O papel da Hidro-Diplomacia nas Mudanças Climáticas”, que aconteceu na plataforma online Zoom.

Eco Feminismo-Cabo Verde promove conversa aberta sobre sobre

O colectivo Eco feminista de Cabo Verde realizou a última sessão de conversa aberta-2020 sobre o tema “Água & Género: O papel da Hidro-Diplomacia nas Mudanças Climáticas na plataforma online Zoom (Meeting ID: 379 495 6053-Passcode: 1234).

O objetivo da conversa visou explorar o interesse de defender o conceito de hidro-diplomacia e a relevância deste tema para Cabo Verde, enquanto um país insular, como também sensibilizar e conscientizar sobre a interligação estrutural entre as desigualdades sociais, discriminações de géneros e as vulnerabilidades dos indivíduos face aos impactos das alterações climáticas.

De acordo com um comunuicado remetidfo ao asemanaonline, este evento enquadra-se nas atividades do 3º Trimestre do programa anual do Movimento Eco-feminismo, intitulado "Eco-feminismo: Ciência, Género & Mudanças Climáticas".

De relembrar que, no quadro dos programas do colectivo para o ano 2020, definiu-se a agenda segundo as prioridades de ações, em trimestre, sendo que o primeiro trimestre foi sob o signo “Trimestre Verde”, onde a agroecologia, permacultura, nutrição e reutilização dos resíduos alimentares estiveram no centro das sessões de reflexões, workshops e intervenções comunitárias com a implementação do projeto “Horta Nha Kaza”.

Já o segundo trimestre foi dedicado à “Mulher e Ecologia: Justiça Social e Género” e por coincidência o país foi surpreendido com a chegada do Covid-19, onde pôs a nú as vulnerabilidades do país, as fragilidades do sistema da segurança alimentar e nutricional nas zonas urbanas, a deficiência das políticas públicas em atender as classes menos favorecidas, famílias chefiadas por mulheres (maioria no sector informal), mulheres e crianças vítimas de violência baseada no género, assim como os profissionais (homens e mulheres) que optaram o setor informal, assim como a força do “djunta môn” da sociedade civil e as associações comunitárias.

Refira-se que o Movimento Eco-feminismo de Cabo Verde é uma associação civil de direito privado, de caráter socioambiental, ecológico e feminista sem fins lucrativos fundada em 2019 na Capital do País, com a missão de engajar a sociedade civil das ilhas na luta pela justiça social e climática no contexto das alterações climáticas em Cabo Verde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project