ESCREVA-NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Mário Matos analisa Cabo Verde numa encruzilhada: Defende um novo Presidente suprapartidário comprometido com a Nação Global 25 Abril 2021

Em mais um post editado na sua página de Facebook, Mário Matos, sociólogo e ex-deputado da Nação, analisa a situação de Cabo Verde, que se encontra numa encruzilhada, segundo ale. «Ou unimos as energias de que a Nação já deu, ao longo da História, provas sobejas de poder mobilizar no seu seio, para ultrapassarmos as crises sanitária, social e económica; Ou continuamos na senda do prolongamento, na sociedade, do acirrado conflito político entre os dois partidos que têm governado Cabo Verde, desperdiçando energias e recursos escassos, lançando o país numa situação calamitosa de difícil gestão e solução». Diante do quadro crítico acima descrito, Mário Matos defende que o país exige, como de pão para boca, de um novo Presidente da República suprapartidário, comprometido com a Nação Global e com o Estado Transnacional que é Cabo Verde. «A Nação exige um Presidente, verdadeiramente democrático, do Todo e não de Parte, qualquer que seja essa parte. Um Presidente que jamais divida os cabo-verdianos em ’dois povos’ mas, antes, que una os cabo-verdianos, respeitando as suas saudáveis diferenças e tirando partido delas para fortalecer a alma mater cabo-verdiana. A Nação exige, como de pão para a boca, de um Presidente da República que emerja de uma larga e transversal maioria e não do enésimo e fracturante despique MpD versus PAICV». Confira, a seguir, o spot referido.

Mário Matos analisa Cabo Verde numa encruzilhada: Defende um novo Presidente suprapartidário comprometido com a Nação Global

Cabo Verde está numa encruzilhada. Vivemos num momento charneira em que só há dois cenários futuros, de um futuro que está a ser construído no presente: Ou unimos as energias de que a Nação já deu, ao longo da História, provas sobejas de poder mobilizar no seu seio, para ultrapassarmos as crises sanitária, social e económica; Ou continuamos na senda do prolongamento, na sociedade, do acirrado conflito político entre os dois partidos que têm governado Cabo Verde, desperdiçando energias e recursos escassos, lançando o país numa situação calamitosa de difícil gestão e solução.

A Nação precisa, pois, mais do que nunca de um Presidente da República suprapartidário, comprometido com a Nação Global e com o Estado Transnacional que é Cabo Verde.

A Nação exige um Presidente, verdadeiramente democrático, do Todo e não de Parte, qualquer que seja essa parte. Um Presidente que jamais divida os cabo-verdianos em "dois povos" mas, antes, que una os cabo-verdianos, respeitando as suas saudáveis diferenças e tirando partido delas para fortalecer a alma mater cabo-verdiana.

A Nação exige, como de pão para a boca, de um Presidente da República que emerja de uma larga e transversal maioria e não do enésimo e fracturante despique MpD versus PAICV.

Se dúvidas houvesse desse cansaço enfraquecedor do processo de democratização, está aí a evolução das estatísticas da abstenção que de cerca de 24% em 2011, aumentou para cerca de 34% em 2016 e nas actuais eleições deve cifrar à volta de 42%.

Só um PR suprapartidário, com forte apoio da cidadania, estará à altura de desempenhar com elevado sentido de Estado, o papel de árbitro e moderador do sistema político, com capacidade de, pela via do diálogo, da persuasão, da negociação, num quadro de solidariedade inter institucional, influenciar as melhores soluções para superarmos essas crises simultâneas e sistemicamente interligadas; capaz de congregar todas as forças vivas na construção de um futuro de paz, justiça social e desenvolvendo sustentável.

Mario Matos*

(Post publicado na sua página de facebook)
— 
*Sociólogo e ex-deputado da Nação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project