ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Em resposta ao chamamento de munícipes de Santa Catarina: Veterano Eugénio Veiga é candidato do PAICV à Câmara Municipal 24 Maio 2020

A novidade está a ser bem acolhida em vários bairros de Santa Catarina do Fogo. O decano das autárquicas, Eugénio Miranda Veiga, aceitou o convite do PAICV para ser, na sequência de chamamentos locais, o candidato do mesmo partido à presidência da Câmara Municipal nas eleições autárquicas previstas para o outono deste ano. Licenciado em Relações Económicas Internacionais, Veiga é um veterano da política e conhecedor profundo do município que tem o vulcão ativo do Fogo e o famoso vinho Chã como seu ex-líbris. «Nhô Eugénio», como é também chamado na ilha, deseja colocar a sua experiência, como decano dos autarcas nacionais (foi presidente da Câmara de São Filipe por vários anos), em prol do desenvolvimento harmonioso de Santa Catarina.

Em resposta ao chamamento de munícipes de Santa Catarina: Veterano Eugénio Veiga é candidato do PAICV à Câmara Municipal

Nascido a 5 de Janeiro de 1950, na localidade de Relva do concelho dos Mosteiros, Eugénio Miranda da Veiga é casado e pai de quatro filhos. Reside há vários anos na cidade de São Filipe, onde foi, a partir das primeiras eleições autárquicas de Dezembro de 1991, presidente da Câmara por mais de três mandatos consecutivos. A aposta na sua candidatura à Câmara de Santa Catarina resulta, conforme a liderança do PAICV, de um forte chamamento por parte de vários munícipes desse concelho do Fogo.

Segundo fontes deste jornal, Eugénio aceitou o repto lançado por residentes depois de muitas pressões por parte destes e um longo período de reflexão. É que ele tem uma forte ligação com as gentes desse município, donde o seu pai é natural, mas que depois fixou-se no concelho dos Mosteiros. Por isso, Veiga tem vários parentes próximos em Santa Catarina.

Prontidão no momento de aflição e obras feitas

Muito querido em Chã das Caldeiras, Eugénio Veiga é lembrado com admiração por residentes quando, em plena erupção vulcânica de 1995, chegou à aldeia de mula, via Cutelo Alto dos Mosteiros, atravessando, pela madrugada fora, cominhos vicinais difíceis e lavas incandescentes nas proximidades do pico ativo do Fogo para acudir a população local que vivia momentos de aflição. «Este feito é recordado com orgulho por gentes de Chã das Caldeiras como um grande exemplo de liderança de proximidade, em socorro do povo no momento que mais precisava de auxílio. Nhô Eugénio encontrou no caminho gentes que saiam de Chã, gritando e chorando de desespero, seguindo, com familiares e alguns bens, em direção aos Mosteiros», lembrou, com admiração, um apoiante da sua candidatura.

Além dos aspectos referidos, o decano dos autarcas também deixou muitas obras no concelho, quando Santa Catarina fazia parte do Município de São Filipe de que foi presidente. Foi a equipa de Eugénio que requalificou toda estrada de Salto até Cova Figueira e levou a água potável a Fonte Aleixo Sul, Monte Vermelho, Domingos Lobo, Tinteira, Lapinha, Enseasa Helena, entre outras zonas. Realizou ainda várias obras como as do Complexo Escolar, Jardim Infantil e Matadouro Municipal em Cova Figueira. Isto sem contar com o Reservatório de captação de água pluvial, uma placa desportiva, um centro multiuso e arruamentos na localidade de Tinteira. Construiu ainda a via de acesso a Estância Roque e fez o ordenamento urbano em Mãe Joana e Estância Roque. Construiu igualmente a placa desportiva de Figueira Pavão, o acesso a Monte Vermelho e arruamentos e melhoria do campo de futebol de Roçadas, placa desportiva em Chã́ das Caldeiras e Cabeça Fundão. Ainda no seu mandato, Eugénio Veiga arruou a Vila de Achada Furna, melhorou habitações em quase todas as localidades, além de assegurar o transporte gratuito de alunos de Santa Catarina para Liceu de São Filipe.

Gestor e promotor de cooperação e projectos

Homem íntegro e de terreno, Eugénio Veiga é visto, em meios técnicos e políticos, como gestor eficiente e diplomata que negociou importantes projectos para o desenvolvimento de Cabo Verde e Fogo em particular.

Licenciado em Relações Económicas Internacionais pela Academia de Estudos Económicos de Bucareste-Roménia em 1980, ingressou, como Técnico Superior da Cooperação, a então Secretária de Estado da Cooperação e do Planeamento, ficando incumbido dos dossiers da cooperação com a União Europeia e das Instituições Financeiras, Banco Mundial, Banco Africano de Desenvolvimento,BADEA, Fundo Koweit,etc. Participou nas negociações de projectos nos mais diferentes domínios, com destaque para as áreas de pescas, infra-estruturas portuárias e aeroportuárias e saneamento básico.

Mas as suas ações no domínio da diplomacia económica não ficaram por aí. Veiga chefiou a delegação Cabo-verdiana a Bruxelas que, nos anos de 1980, negociou e firmou o primeiro acordo de pescas entre Cabo Verde e União Europeia. Exerceu as funções de Director de Gabinete do então Ministro da Cooperação e do Desenvolvimento.

Como Edil de São Filipe, a cooperação descentralizada conheceu uma dinâmica ascendente no seu consulado, contribuindo para que centenas de jovens se tenham saído para a formação em Portugal e no Brasil. Também muitas iniciativas se realizaram no concelho com financiamento mobilizado junto dos parceiros da cooperação descentralizada. Houve ainda o envio de trabalhadores para Portugal, no quadro da cooperação descentralizada.

«Em 2013, Eugénio Miranda Veiga participou na criação de uma organização da sociedade civil, tendo, em consequência, estado a mobilizar alguns recursos, com os quais tem desenvolvido acções relacionadas com ligações domiciliárias de água a famílias mais carenciadas, fomento de apoio a pesca artesanal, mobilização de recursos hídricos, salvamento de gados, melhoria de habitações, fomento de fruticultura, formação on-job (treinamento) de jovens. Igualmente participou na elaboração de uma estratégia integrada de valorização do produto turístico das Ilhas de Fogo e da Brava, estando a procurar neste momento recursos para a sua concretização», acrescentou a fonte deste jornal.

Novo projecto e experiência como autarca

A fazer fé nas fontes deste jornal, Eugénio Veiga abraçou o novo projecto político de concorrer à Câmara Municipal de Santa Catarina, «apostando numa ambiciosa agenda para o desenvolvimento local sustentável e na sua vasta experiência de autarca com obras realizadas».

Neste particular, recordou o nosso interlocutor que, como Presidente da Câmara Municipal de São Filipe, Veiga definiu e implementou, como prioridade central, a redução do fosso entre a Cidade e o Mundo Rural. Conforme a mesma fonte apoiante da sua candidatura, a cidade passou a ser mais urbana, com mais integração, espaços verdes, modernização das infra-estruturas, extensão das redes de água e de energia, cobrindo todos os bairros, ruas calcetadas, garantindo energia 24 horas/dia em São Filipe. E várias redes viárias foram construídas, alcançando todas as localidades.

«As salas de aulas alugadas desapareceram em São Filipe, com a construção de novos edifícios. Houve massificação de ensino secundário, com garantia gratuita de transporte escolar. O interior passou a ter água canalizada e igualmente energia eléctrica. Houve o princípio descentralizador da gestão da coisa pública, com a implementação de Delegações Municipais, estruturas culturais, entretanto desmanteladas e sem alternativas. Infra-estruturas desportivas se construíram em quase todas as zonas, com realce para polivalente de São Lourenço coberto, único em Cabo Verde, fora da sede do Município, a iluminação artificial de estádio de futebol 5 de Julho e seu arrelvamento. A equipa de Eugénio fez ainda melhoria de parque habitacional, seja na Cidade dos Sobrados, seja no Mundo rural. Há o ginásio Municipal construído, mas que está em fase crescente de degradação», enumerou a nossa fonte, que também destacou o relançamento das festas da Bandeira que ganharam projecção internacional e o centro cultural construído na Cidade de São Filipe.

Repensar Santa Catarina

Face a tudo isto, Eugénio Miranda Veiga, tido como um veterano da política e autarca experimentado, é o escolhido do PAICV para a presidência da Câmara de Santa Catarina nas autárquicas deste ano. Conforme os seus apoiantes, Veiga «mostra - se motivado perante os fortes apoios que vem recebendo no terreno e está mais interessado em trabalhar para acelerar o ritmo do processo de desenvolvimento e da modernização de Santa Catarina de que entrar em baixa política». A pensar nisso, quer implementar uma nova visão para o concelho e contar com uma forte parceria da importante comunidade santa-catarinense radicada nos Estados Unidos da América.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project