LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Empresário de Macau lamenta dificuldades em investir no setor agrícola português 10 Dezembro 2022

O presidente da CESL Asia, empresa de capital chinês e português, lamentou hoje à Lusa as dificuldades em Portugal para investir no setor da agricultura, "o parente pobre da atividade económica".

Empresário de Macau lamenta dificuldades em investir no setor agrícola português

António Trindade começou por referir "dificuldades em levantar financiamento", já que "os bancos têm dificuldades em investir na agricultura". E explicou: "O banco é que tem de apresentar o projeto ao Governo para financiar, se eles quiserem financiar. Se não quiserem financiar e se eu tiver outras entidades que queiram financiar, não têm a garantia do Governo".

"Não faz sentido nenhum", reforçou o empresário, questionando ainda se o financiamento serve "para apoiar os bancos ou a atividade económica".

Fundada em 1987, a CESL Asia, empresa de matriz portuguesa em Macau, opera na área de serviços de alto valor na consultadoria e operação de infraestruturas críticas, públicas e privadas, tendo adquirido em 2019, no Alentejo, o Grupo Monte do Pasto, o maior produtor português de bovinos.

Recentemente, a empresa começou a comercializar em Hong Kong carne de vaca sustentável.

Ainda no que diz respeito aos obstáculos ao investimento no setor agrícola, o empresário disse que a CESL Asia "tem condições e vontade" para desenvolver no Monte do Pasto "aquilo que se chama o uso duplo do terreno para a agricultura, na perspectiva da agricultura - aumentar-lhe capacidade com energia solar".

"Pois é muito difícil (...) Portugal precisa hoje de assegurar que os terrenos são usados para produção de alimentos, primeiramente, e depois perceber que não pode concorrer a produção de alimentos com a produção de energia solar, tem de trabalhar em conjunto", explicou o responsável à Lusa, por ocasião da MIECF 2022 - Fórum e Exposição Internacional de Cooperação Ambiental de Macau, que se realiza entre hoje e domingo.

"Um terreno de sequeiro na zona ali do Monte de Pasto para solar aluga-se por 1.500, 2.000 euros o hectare por ano, se for para a agricultura aluga-se por 50 a 100 euros. É completamente irracional", completou.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project