ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Energias renováveis: Sal com mais uma Central Solar Fotovoltaica 03 Dezembro 2018

A empresa Águas de Ponta Preta,(APP), com sede no Sal, inaugura, esta segunda-feira, 03, a nova Central Solar Fotovoltaica de Ponta Preta. Com o lema “Nova Central Solar Fotovoltaica de Ponta Preta, uma contribuição empresarial à transição energética nacional”, a cerimónia será presidida pelo Vice-Primeiro-Ministro, Olavo Correia.

Energias renováveis: Sal com mais uma Central Solar Fotovoltaica

A Central Solar Fotovoltaica de Ponta Preta representa um investimento na ordem dos 260.000.000 ECV, realizados com financiamento conseguido através da Caixa Económica de Cabo Verde e com fundos próprios da empresa.

«A instalação fotovoltaica tem uma capacidade instalada total de 1.318 kWp, com 3.880 módulos e 49 inversores, sendo que está configurada por um Campo Fotovoltaico Térreo de 972 kWp e mais 4 parques distribuídos sobre os telhados das edificações localizadas dentro da parcela técnica da APP», diz em nota a empresa.

Segundo a mesma fonte, a Central Solar Fotovoltaica de Ponta Preta é o terceiro maior parque fotovoltaico do país. Permitirá anualmente evitar a combustão de 486 toneladas de combustíveis fosseis para geração de energia elétrica e a emissão de 1.768 toneladas de Emissões de dióxidos de carbono ( CO2).

A nova central apresenta uma série de inovações na tecnologia fotovoltaica, nomeadamente a instalação de 400 painéis de vidro BIPV, monocristalinos e bifaciais para integração arquitetónica da estrutura de cobertura da área de estacionamento de veículos, que inclui dois carregadores de viaturas elétricas, contribuindo para alcançar o objetivo da mobilidade elétrica sustentável. « Igualmente, os módulos instalados no resto dos pontos da central incorporam painéis REC TwinPeack de 345 Wp, cuja disposição em série (strings), consegue um maior rendimento em situações de baixa radiação. Por outro lado, a instalação inclui um software de hibridação entre o campo fotovoltaico e os grupos diesel, que permitirá otimizar o rendimento da central perante situações de maior oscilação de radiação solar», salienta a nota referida.

Com este projeto, a APP anuncia que pretende contribuir, a nível empresarial, alinhado com o processo nacional de transição energética, para o crescimento verde e diminuição da dependência energética de combustíveis fósseis e melhorar a sustentabilidade da empresa, dinamizando atividades que permitam um melhor desempenho económico, a proteção ambiental, a valorização e a gestão otimizada de recursos estratégicos de desenvolvimento, e o crescimento económico, naturais e turísticos.

Plataforma de transferência tecnológica

Para a APP, o processo de desenvolvimento da Central Solar Fotovoltaica de Ponta Preta mais do que uma realização de uma obra tecnológica, constituiu uma plataforma de conhecimento e transferência tecnológica. «O projeto permitiu a aquisição de um conhecimento especializado mediante a formação de técnicos nacionais e a criação de alianças empresariais no domínio das energias Renováveis, nomeadamente com a CERMI, MATEC, SGL e a empresa espanhola TFM. Neste processo de desenvolvimento do projeto destacamos a parceria entre APP e a CERMI, uma iniciativa enquadrada no âmbito de um acordo de cooperação entre as partes que instituiu um programa de estágio destinado a 8 formandos do CERMI».
Conforme a mesma fonte, esta iniciativa permitiu a deslocação dos formandos do CERMI para ilha do Sal para um período de 3 meses para uma inovadora experiência profissional no âmbito da instalação da central fotovoltaica. «O mais destacável nesta cooperação foi a aplicação efetiva do princípio de igualdade e equidade de género, mediante estabelecimento de uma quota igualitária no acesso ao Programa de estágio, sendo que 50% das vagas destinadas às mulheres, independentemente da sua representatividade dos cursos ministrados pelo CERMI», precisa a nota que vimos citando.

APP faz questão de realçar que, desde a sua constituição no ano 2000, como sociedade comercial de direito cabo-verdiano, teve sempre como principal eixo estratégico empresarial de desenvolvimento e crescimento, a aquisição de conhecimento e a transferência tecnológica. «A capacidade de inovação tecnológica permitiu ao longo dos anos, agregar um sólido sistema de conhecimento, habilidades e expertises de natureza tecnológica através da criação de quadro pessoal especializado e estável, bem como de uma rede de parcerias externas seguras com fornecedores tecnológicos».

A empresa salienta que esta aposta possibilitou, por outro lado, ter respostas atempadas às demandas e exigências dos serviços que APP fornece, nomeadamente, no âmbito da produção e distribuição de água potável, energia elétrica e saneamento. «As energias renováveis são uma das principais apostas de investimento da APP, alinhando-se com as orientações políticas dos sucessivos governos de Cabo Verde sobre o setor energético e aos desafios nacionais da independência energética e mudanças climáticas», avança a APP.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project