REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Equipa da FCTUC cria programa informático que avalia automaticamente a emoção presente nas canções 09 Julho 2019

A Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), cria um programa informático que reconhece automaticamente a diferença entre músicas alegres e tristes, tensas e melancólicas. Este sistema bimodal foi desenvolvido no âmbito de um projeto financiado pela FCT, do qual resultaram as teses de doutoramento de Renato Panda e Ricardo Malheiro, sob orientação do professor Rui Pedro Paiva.

Equipa da FCTUC cria programa informático que avalia automaticamente a emoção presente nas canções

Segundo um comunicado enviado a este diário digital, o sistema informático bimodal inovador que junta informação textual e acústica, foi obtida através de tecnologias de inteligência artificial, machine learning, processamento de sinal áudio e processamento de linguagem natural, para classificar as músicas com base no seu conteúdo emocional, ou seja, detetar e entender as emoções contidas na música.

A mesma fonte acrescenta também que o programa pode vir a ser aplicado em diversas indústrias desde entretenimento e videojogos a marketing e publicidade ou mesmo na área da saúde.

A identidade realça que, ambos dos estudos foram desenvolvidos a partir do modelo circumplexo da emoção de Russell, um modelo psicológico que assenta em dois eixos: horizontal (valência) e vertical (ativação) - a valência relaciona-se com o tipo de emoção, positiva ou negativa, e a ativação com a energia presente na música.

«Se pensarmos que a música tem um impacto socioeconómico muito relevante, este tipo de sistemas é muito vantajoso, já que permite pesquisas automáticas avançadas adequadas às exigências dos utilizadores», destaca Rui Pedro Paiva.

Serviços como o Spotify (serviço de streaming de música, podcast e vídeo) ou Pandora (serviço de rádio streaming) «terão muito a ganhar com sistemas de reconhecimento automático de emoções na música, permitindo gerar rapidamente playlists adequadas a cada contexto emocional desejado, por exemplo, uma festa ou prática de exercício físico», especifica o especialista em reconhecimento de emoções musicais da FCTUC. Mas não só. «Este sistema poderá ser aplicado no cinema ou na publicidade, tornando muito mais fácil a elaboração de uma banda sonora adequada ao tema de um filme ou a procura de músicas específicas para captar os clientes desejados», acrescenta.

A classificação de emoções em música através do computador é uma área de investigação muito recente, com várias possibilidades em aberto e espaço para melhorias.

Nesse sentido, Rui Pedro Paiva esclarece que o sistema desenvolvido «ainda carece de melhorias, nomeadamente ao nível de precisão, para que possa entrar no mercado real. Queremos realizar mais testes e explorar outras possibilidades como, por exemplo, avaliar a variação das emoções ao longo de uma música».

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project