INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

“Está viva!" Em quarto secreto menina desaparecida nos EUA desde 2019 18 Fevereiro 2022

Em 13 de julho de 2019, Paislee Shultis de quatro anos desapareceu da casa da avó — que tinha a guarda provisória enquanto os pais estavam a ser investigados por negligência com as duas filhas, uma das quais adolescente. Esta segunda-feira a polícia de Nova Iorque resgatou-a dum quarto secreto na casa onde os seus raptores a tiveram escondida durante mais de dois anos. Embora as autoridades tenham visitado a casa, não tinham encontrado rasto da criança — até este 14 de fevereiro.

“Está viva!

Raptores: são o pai e a mãe, com 32 e 33 anos, que perderam a guarda da criança por decisão da justiça. Kirk Shultis e Kimberley Cooper inconformados raptaram a filha criança enquanto a filha adolescente estava na escola e a avó saiu por momentos.

A casa de onde a polícia resgatou a criança, em Saugerties, pertence ao avô Kirk Shultis Sr. e fica a três horas de carro da primeira casa, também no Estado de Nova Iorque.

A polícia desde a primeira hora trabalhara com a hipótese de que os raptores eram os pais e visitaram a casa, sem encontrar rasto da criança.

Telefonema anónimo

Uma chamada telefónica no dia de São Valentim levou à resolução, no mesmo dia, do caso de desaparecimento de quase três anos.

Segundo o anónimo informou a polícia, a criança encontrava-se efetivamente escondida na casa do avô. Os agentes munidos de mandado rebuscaram a casa durante uma hora.

Por fim, voltaram à cave onde já tinham estado e notaram que havia algo sob as escadas. Era o quarto dissimulado — pequeno, escuro e bafiento — onde estavam Paislee e Kimberley.

Paislee deu entrada no hospital para exames que "confirmaram que está bem", após o que foi entregue à avó que tem a custódia, confirmada após o rapto, em setembro de 2019.

Kirk Shultis, Kimberley Cooper e Kirk Shultis Sr., de 63 anos, foram detidos. Apresentados na quarta-feira 16, no tribunal de Saugerties, enfrentam acusações que os podem manter até seis anos na prisão.

Fontes: CNBC/ NY Times/BBC/Sky News. Fotos: Dá que pensar: uma chamada anónima foi determinante para o final feliz do caso de desaparecimento duma criança.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project