Editorial

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Estado esbanjador: Participação exagerada de titulares de cargos políticos em visitas e festivais 05 Dezembro 2018

Cabo Verde está a se transformar num Estado esbanjador com a participação exagerada de Titulares de Cargos Políticos, principalmente de governantes, em festivais e visitas dentro e fora do país. O mais caricato aconteceu, no final da semana passada, com a II Gala Cabo Verde Sucesso: O país ficou sem a direcção com a deslocação à Lisboa tanto do Chefe do Estado como do Primeiro-ministro para participarem no evento, acompanhados por quase uma dezena de membros do governo e vários outros responsáveis dos serviços públicos.

Estado esbanjador: Participação exagerada de titulares de cargos políticos em visitas e festivais

Conforme os críticos, a iniciativa em si «Cabo Verde de Sucesso» não está em causa, já que visa homenagear e estimular os emigrantes a participarem no processo de desenvolvimento de Cabo Verde. A pergunta que não cala é se era necessário ter presente mais de uma dezena de Titulares de Cargos Políticos nesse evento, acarretando grandes despesas, sobretudo em termos de alojamentos, passagens e comunicações, para o Estado.

Referindo-se sobre este particular, um leitor atento escreveu no fórum do Asemanaonline que «a Gala ‘Cabo Verde Sucesso’ foi uma festa, rija, destinada aos Políticos cabo-verdianos (Presidente da República, Primeiro-ministro, seis Ministros, dois secretários de Estado e vários directores nacionais). Não foi convidado nenhum imigrante trabalhador que, de facto, simboliza a imigração cabo-verdiana», contestou.

Mas o caso da semana passada serve apenas de exemplo mais recente. É que diariamente o país assiste viagens e mais viagens dos Titulares de Cargos Políticos. Pena é que o próprio Chefe de Estado, que podia ter uma intervenção neste sentido, consta da longa lista daqueles que mais participam em festivais e encontros no país e no estrangeiro. O mesmo acontece com o Presidente da Assembleia Nacional, que parece estar em campanha eleitoral antecipada – cada dia está numa ilha. Mais: o Primeiro-ministro quase que não pára também no Palácio da Várzea. O pior acontece com «os ministros alegadamente passeadores» como Luís Filipe Tavares, Abraão Vicente, Fernando Elísio Freire, Olavo Correia, entre outros.

Como um leitor assíduo alertou este jornal, num país pobre em que grande número de jovens encontra-se no desemprego, agricultores e criadores de gado a passarem por dificuldades e fome em alguns sítios por causa do segundo ano consecutivo da seca, é imoral o Estado estar a gastar tanto dinheiro público em viagens e festivais- estes organizados sobretudo pelas Câmaras Municipais.

Urge, pois, disciplinar e controlar as deslocações dos Titulares de Cargos Políticos, principalmente dos governantes, directores gerais e gestores dos institutos e empresas públicas. Oxalá que esta questão seja levada à discussão em espaços apropriados. O Asemanaonline só cumpre o seu papel de deixar este alerta de vários sectores críticos da sociedade civil cabo-verdiana.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project