INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

"Estive 6 anos presa, sem a minha filha, porquê?", pergunta britânico-iraniana Nazanin que Irão acusou de espionagem 23 Mar�o 2022

A pergunta proferida durante uma conferência em Londres hoje (2ªfª, 21) contém uma crítica ao governo de Boris Johnson. A binacional Nazanin Zaghari-Ratcliffe libertada duma prisão iraniana na quinta-feira 18, disse em conferência em Londres hoje (2ªfª, 21) que o devia ter sido há seis anos — ou seja, que não devia ter acontecido essa sua prisão que a manteve seis anos longe da filha pequena.

A República Islâmica Iraniana tem sido notícia também pelas detenções de cidadãos binacionais, em geral por alegações de espionagem sobre o país-berço. São constantes as alegações de que se trata de "medidas arbitrárias" usadas contra os binacionais.

Tal como Nazanin, de 43 anos, a binacional franco-iraniana Fariba Adelkhah, de 63 anos, foi condenada em 2017 a seis anos de prisão acusada de recolher informações e conspirar contra a segurança nacional do Irão, onde nasceu.

O sistema judicial mostrou-se mais duro para com ela. Manteve-a presa enquanto o seu cônjuge e também investigador Roland Marchal foi libertado numa troca de prisioneiros que envolveu o engenheiro nuclear iraniano Jallal Rohollahhnejad, detido nos Estados Unidos. O Irão tratou diferentemente os dois casos, porque não reconhece a nacionalidade francesa de Fariba.

Na conferência hoje, Nazanin agradeceu os esforços de todos que se bateram pela sua libertação, incluindo o marido Richard e a ministra dos Negócios Estrangeiros, Liz Truss, mas sem esquecer que Johnson então detentor da pasta e depois primeiro-ministro nada fez para a sua libertação.

Nazanin lamentou ainda a situação de outro detido, Morad Tahbaz, de 66 anos, com nacionalidades iraniana, britânica e americana. Ele começou por sair da prisão no mesmo dia que Nazanin, mas voltou a ser detido no dia seguinte. As autoridades do Irão dizem que ele só saiu para lhe ser colocada uma tornozeleira eletrónica num hotel de Teerão.

Dívida de mais de 50 mil milhões

O governo britânico tem sido acusado de ter deixado deteriorar a situação dos seus cidadãos no país islâmico. Tudo começou nos anos de 1970 quando o Irão encomendou tanques britânicos mas depois cancelou o pedido de aquisição.

Quase meio século depois, o Irão insiste em que lhe seja devolvido o que pagou. E para isso usa os binacionais britânicos como moeda de troca, acusam os binacionais detidos no Irão, que ultrapassam a dezena.

Fontes: BBC/AFP/ France24/DW.de. Relacionado: Irão volta a prender cientista Fariba Adelkhah, 16.jan.022; Académica francesa acusada de espionagem é condenada a 6 anos de cadeia no Irão, 18.mai.020; EUA-Irão: Histórica troca de prisioneiros, 2 cientistas voltam a casa anos depois de presos em Teerão e Chicago.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project