REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Estónia elegeu presidente Alar Karis, diretor do Museu Nacional 01 Setembro 2021

Esta terça-feira o parlamento estoniano elegeu presidente da República o biólogo Alar Karis, que desde 2017 dirige o Museu Nacional e foi auditor principal do Tribunal de Contas até 2018. A tomada de posse está agendada para 10 de outubro.

Estónia elegeu presidente Alar Karis, diretor do Museu Nacional

Alar Karis, de 63 anos, foi eleito com 72 votos hoje (terça-feira, 31) na segunda-volta presidencial após ter na eleição de ontem obtido menos de dois terços dos 101 assentos no riigikogu (parlamento).

Único candidato à eleição, por proposta do Partido da Reforma e do Partido do Centro, da coligação governamental, Karis é o sexto presidente da República da Estónia, desde o regresso à independência após um referendo que determinou em 1990 a separação perante a União Soviética.

A sua antecessora Kersti Kaljulaid foi eleita em 10 de outubro de 2016, aos 46 anos e regista dois recordes: a primeira mulher e mais jovem na chefia do Estado desde 1918, data da primeira independência estoniana.


Referendo para a independência

Foi em 03 de março de 1990 que se realizou o referendo sobre a independência da Estónia, nação de 1,3 milhão de habitantes, perante a URSS.

A antiquíssima nação esteve dois séculos sob o jugo do Império Russo que sempre reprimiu os anseios de soberania nacional dos estónios. A repressão mais recente foi sobre a ’Revolta Estónia’ de 1905 ocasionada por reivindicação laboral em que morreram dez mil pessoas.

A revolução bolchevique deu a independência à Estónia em 1918. Mas no pós-1945 voltou a perder a independência para se integrar na URSS.

A dissolução da União Soviética deu à Estónia a oportunidade do referendo de 1990, que contou com 82,9 por cento do eleitorado. Dos 77,8% que votaram sim, a quase totalidade era formada por estonianos e c. 30% por não-estonianos.

Gradualmente o novo país foi fortalecendo as instituições no sentido legislativo, executivo e de poder judicial até abolir o monopartidarismo e instituir o sistema multipartidário.

A privatização das pequenas empresas e a reativação das unidades agropecuárias teve sucesso e conduziu o país à economia de mercado, consolidada com a entrada na União Europeia em 2004.

Novo referendo teve lugar em 2003 para a entrada na UE, com uma campanha muito criativa. A 18 de setembro desse ano, os estónios deram a vitória ao "sim".

Fontes: Le Figaro/AFP/BBC.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project