INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Estudo: NASA diz que há gelo na lua capaz de produzir água para futuras missões 21 Agosto 2018

Cientistas norte-americanos comprovaram que há gelo suficiente na superfície da lua para se produzir água, que "poderá servir de recurso a futuras expedições".

Estudo: NASA diz que há gelo na lua capaz de produzir água para futuras missões

Um novo estudo detetou a presença de água gelada junto dos dois polos da lua. É um tipo de gelo mais quebradiço, e em menor quantidade do que aquele que se sabia já existir no subsolo lunar, mas que faz sonhar todos os que desejam ver o Homem a assentar no satélite natural da Terra.

"Com gelo suficiente na superfície - entre os poucos milímetros superiores - pode haver água acessível para servir de recurso para futuras expedições ou até para ficar na lua, potencialmente mais fácil de aceder que ao detetado abaixo da superfície lunar", escreveu a NASA em comunicado.

No mesmo documento, a agência espacial norte-americana, admitindo que os cientistas já sabiam que o subsolo lunar não era totalmente seco. "Observações anteriores detetaram sinais de gelo na superfície lunar perto do polo sul. Mas estes poderiam ser explicados por outros fenómenos, como um pouco usual reflexo no solo lunar", escreveu a NASA.

Em 2009, um impacto provocado pelo Satélite de Observação e Análise das Crateras Lunares (LACROSS, no acrónimo original) tinha enviado água para o espaço após o choque com a região da cratera de Cabeus, que fica perto do polo sul da lua.

Não era claro o local exato de onde provinha a água expelida pelo impacto ou a que profundidade estaria. Surgem agora novos dados, após observações efetuadas aos dados recolhidos pela sonda M3 (sigla do programa de Mapeamento Mineral da Lua), lançado pela nave espacial indiana Chandrayaan-1, que estudou a superfície do satélite natural da terra entre 2008 e 2009.

Este estudo, publicado na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences", olhou de novo para os dados da M3, a primeira sonda indiana a ser lançada em direção à lua. Conduzido por Shuai Li, da Universidade do Havai, com o apio de Richard Elphic, da NASA, a investigação detetou sinais distintivos da presença de gelo.

Estes sinais estão presentes em alguns dos mais frios e escuros locais da superfície lunar, numa área até 20 graus de ambos os polos. O gelo é mais abundante a sul, localizado no fundo de crateras permanentemente à sombra; no norte está mais espaçado, mas é mais fino e disperso. Fonte:JN-PT

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project