Presidenciais 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ex-Presidente Pedro Pires apela ao voto e destaca “enorme esforço” dos candidatos 17 Outubro 2021

O ex-Presidente da República Pedro Pires (2001-2011) destacou hoje o “enorme esforço” dos candidatos às eleições presidenciais deste domingo e pediu a todos os cabo-verdianos para irem às urnas.

 Ex-Presidente Pedro Pires apela ao voto e destaca “enorme esforço” dos candidatos

Em declarações à imprensa, no Seminário São José, na Cidade da Praia, onde votou por volta das 10:00, Pedro Pires começou por dizer que talvez não seja a melhor hora de comentar e, sobretudo, abordar as questões ligadas aos resultados.

“De todo modo, eu dirijo-me aos cabo-verdianos e cabo-verdianas para que participem na votação. É fundamental a participação dos eleitores, são eles que vão escolher o próximo Presidente da República, portanto, a sua escolha é importante, que venham muitos participar nas eleições”, continuou.

O “curioso” dessas eleições para Pedro Pires é que há sete candidatos. O ex-PR disse, entretanto, que procurou seguir com atenção as declarações de uns e de outros e disse achar que é “interessante”, embora haja “grandes diferenças” entre os vários candidatos, tendo em conta a sua experiência política.

“Houve diferenças, quer nos posicionamentos, quer na forma de exposição. De toda maneira, é enriquecedor, é interessante ver o enorme esforço dos vários candidatos, sobretudo os mais recentes, há um enorme esforço, esse esforço deve se louvado”, frisou.

Tudo isto, disse, significa que há uma adesão ao princípio da eleição dos órgãos superiores do poder em Cabo Verde, facto que Pedro Pires considera ser “interessante”.

“Em relação aos posicionamentos de uns e de outros, também não gostaria de comentar agora porque não é o melhor momento, mas, de toda maneira, registei com muito apreço a participação de sete candidatos, cada um à sua maneira, é uma prova interessante para o País”, acrescentou.

Instado a comentar uma possível alta taxa de abstenção, Pedro Pires respondeu que geralmente não se pode mudar, de um momento para o outro, a opinião das pessoas.

“O que eu posso, neste momento, é pedir que as pessoas participem, como o acto cívico, mas também como forma de escolha. Se nós queremos influenciar as decisões, queremos que as nossas opções sejam tidas em conta, temos de participar, por isso apelo que todos procurem participar, façam o seu melhor para que participem e venham votar”, afirmou.

Ainda nas suas declarações, Pedro Pires disse que a importância dos órgãos do poder e suas intervenções dependem, muitas vezes, de contextos e que neste momento há em Cabo Verde um contexto político, social e económico-financeiro em que o papel do Presidente da República torna-se mais importante.

“Nunca tínhamos tido uma situação de crise evidente durante a campanha eleitoral ou durante a eleição do Presidente da República, agora o contexto é diferente e o Presidente da República tem um papel muito importante a desempenhar, dependendo da evolução da situação financeira e social do País”, disse.

Tudo isto, entende Pedro Pires, faz com que o novo Presidente da República seja importante e actue num contexto diferente de todos os outros seus antecessores.

A ser pedido para fazer uma avaliação da presidência de Jorge Carlos Fonseca, Pedro Pires respondeu: “Não comento, não é o momento de comentar. Este não é o momento de estarmos a emitir opinião. Eu tenho muito apreço pela pessoa, acredito que tenha feito o seu melhor para servir Cabo Verde”.

Nesta que é a mais concorrida eleição presidencial no arquipélago, um dos sete candidatos – Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro – será eleito este domingo como o quinto chefe de Estado cabo-verdiano, depois de Aristides Pereira (1975-1991), António Mascarenhas Monteiro (1991 -2001), Pedro Pires (2001 – 2011) e Jorge Carlos Fonseca, desde 2011.

Caso nenhum candidato consiga a maioria dos votos neste domingo, a segunda volta, com os dois mais votados, está agendada para 31 de Outubro.

No total, estão inscritos 398.864 eleitores – 342.777 no território nacional e 36.970 no conjunto dos países que integram a diáspora -, que dispõem de 1.053 mesas de voto nos círculos nacionais e 243 no estrangeiro.

As eleições estão a ser acompanhadas por 104 observadores internacionais, sendo 71 da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), 30 da União Africana e três dos EUA.

A votação começou às 7:00 e decorre até às 18:00. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project