NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ex-primeiro ministro José Maria Neves defende aceleração do ritmo de transformação e integração dos serviços no domínio das tecnologias 10 Abril 2019

O ex-primeiro ministro cabo-verdiano reconheceu que é preciso “acelerar” o ritmo de transformação e integração dos serviços no domínio das tecnologias informacionais para que os serviços finais aos cidadãos sejam “cada vez mais de melhor qualidade”.

Ex-primeiro ministro José Maria Neves defende aceleração do ritmo de transformação e integração dos serviços no domínio das tecnologias

José Maria Neves fez estas considerações em declaração à imprensa, à margem da cerimónia de apresentação do livro “Governação eletrónica para o desenvolvimento sustentável”, feita na segunda-feira, na Cidade da Praia, no âmbito da comemoração do 2º aniversário da Fundação José Maria Neves para Governança.

Para o ex-primeiro ministro, tem havido alguma “estagnação” e “segmentação” a nível da criação de novos serviços na área das Tecnologias de Informação e Comunicação, defendendo a necessidade de se aproveitar as tecnologias informacionais visando garantir melhor governação do país e o desenvolvimento de todo o sistema tecnológico.

Cabo verde, prosseguiu, fez grandes investimentos nos últimos anos, mas não tem sabido tirar proveito dos mesmos, disse, afiançando que é preciso uma reflexão e apresentação de novos produtos, continuar a desenvolver o NOSI e criar condições para que o Data Center possa continuar a funcionar.

“Há alguma estagnação e está a haver também alguma segmentação, a perspectiva foi sempre de integrar os serviços através da Casa do Cidadão e através de outras plataformas digitais e a nossa perspectiva é integrar e não separar”, disse.

Lembrou, por outro lado, que o Sistema Integrado de Gestão Orçamental (SIGOV) ganhou um prémio a nível africano de inovação na administração pública, realçando que a Casa do Cidadão e Data Center foram grandes ganhos para o país no que se refere a prestação de serviços públicos.

“Temos de continuar a fazer tudo para desenvolver esse cluster das tecnologias e conseguir por um lado, a governação integrada e por outro lado, a prestação de serviços de alto valor acrescentado nos domínios das tecnologias informacionais onde podemos inovar, exportar e prestar serviços a outros países”, afirmou.

Entretanto, considerou ainda que se Cabo Verde conseguir na linha do contributo da obra de Jorge Lopes desenvolver a governança Electrónica integrada poderá acelerar o ritmo da economia, garantir mais competitividade e ser uma plataforma de prestação de serviços internacionais no domínio das Tecnologias de Informação e Comunicação.

Avaliando os dois anos de existência da fundação, disse que o balanço é muito positivo, ressalvando que a referida instituição tem sabido cumprir globalmente a sua missão e contribuído de forma transversal e fundamentada na discussão de ideias

“Queremos contribuir para o desenvolvimento do Estado de direito democrático para afirmação das liberdades e sobretudo por uma discussão mais fundamentada das politicas publicas, temos feito debates, conferencias, editado vários livros sobre temas diversos relacionados com politicas públicas”, concluiu. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project