ESCREVA-NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Existe racismo no Brasil? 10 Dezembro 2020

A vida da população negra brasileira é marcada por diversas histórias de lutas, resistências, sonhos e desejos de que um dia ainda ocorra uma real abolição nestas terras, de que o racismo deixe de ceifar vidas de jovens que mal iniciaram a sua jornada, de que crianças e jovens se sintam valorizados e belos com suas características físicas tão inferiorizadas pelo padrão de beleza europeu presente em todos os lugares que caminham.

Por: Heloisa Modesto*

Existe racismo no Brasil?

Há apenas 132 anos, o regime de escravidão no Brasil foi abolidopor meio da assinatura da Lei Áurea, fato que tornou o país o último do Ocidente a oficializar a abolição. A liberdade foi alcançada principalmente, devido às lutas dos escravizados, dos negros libertos e dos abolicionistas. Mas, a história oficial nega o protagonismo do povo negro para o fim da escravidão. Aprende-se nas escolas quea Lei Áurea assinadapela Princesa Isabel, neta de Dom Pedro I, também conhecido como Rei Pedro IV de Portugal, foi outorgada somente pela bondade real. A imagem de Isabel foi passada para as gerações futuras como uma princesa redentora.

O fim da escravidão não garantiu nenhum benefício aos negros brasileiros, eles foram libertos,mas, não tiveram direito a terra, saúde e educação. Até mesmo, o trabalho remunerado foi negado para este povo, que não era contratado como mão de obra e foram aceites apenas para os cargos mais subalternizados. Assim,os descendentes dos povos africanos escravizados no Brasil foram largados à própria sorte,isto, após um regime que durou quase 400 anos e expôs esta população a humilhações, castigos e a atrocidades desumanas.

Sem lugar para viver, essa população começou a construir as primeiras favelas brasileiras, que ainda hoje são lugares marcados pela pobreza, violência e grande concentração de pessoas negras. Espaços em que a palavra cidadania não possui muito sentido, pois, os moradores têmos seus direitos negados todos os dias.De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra por Domicílio (PNAD) realizada pelo Instituto Brasileirode Geografia e Estatísticas (IBGE) em 2018, 56,1% da população brasileira se declarou negra, sendo o primeiro país do mundo com a maior população negra fora do continente africano. Além disso,os negros representam 75% da população mais pobre no Brasil. As desigualdades sociais e raciais por aqui são visíveis, com cargos de poder e a concentração de renda centralizada nas mãos de pessoas brancas.

A história oficial novamente nega todos estes dados e o racismo estrutural,que existe por aqui e trabalha para manter os negros em locais de subalternidade,é frequentemente questionado, principalmente pela elite branca brasileira.

Existe racismo no Brasil? As respostas que o presidente e o vice-presidente da República deram a esta pergunta foram negativas. Suas falas foram proferidas no último dia 20 de novembro, data em que se comemora o dia da Consciência Negra. Para eles, existem apenas desigualdades sociais, que podem atingir tanto brancos como negros.

Mas, como explicar então, o fato dessa desigualdade afetar majoritariamente o povo negro? Como explicar o fato de um homem negro ser violentamente assassinato por seguranças brancos de um supermercado sem chances de defesa? Como explicar o fato de negros entrarem em comércios por aqui e serem seguidos nos corredores pelos seguranças? Porque as mulheres negras recebem menos da metade do que um homem branco? Por que a cada 12 minutos uma pessoa negra é morta no Brasil?

Ao contrário, quando olhamos dados positivos, podemos questionar: porque os negros não ocupam ao menos a metade dos cargos de poder, já que representam mais da metade da população se, de acordo com o Presidente não existe racismo por aqui? Porque o nosso Superior Tribunal Federal não tem nenhum ministro negro? Porque as pessoas negras que ocupam cargos de gestão,em qualquer local são uma exceção mínima?

Os questionamentos de situações que desfavorecem a população negra são inúmeros. Fato é, que se você quiser saber se existe racismo no Brasil, deve perguntar para pessoas que são vitimadas por ele todos os dias e não para alguém que não vive isto na pele.

A vida da população negra brasileira é marcada por diversas histórias de lutas, resistências, sonhos e desejos de que um dia ainda ocorra uma real abolição nestas terras, de que o racismo deixe de ceifar vidas de jovens que mal iniciaram a sua jornada, de que crianças e jovens se sintam valorizados e belos com suas características físicas tão inferiorizadas pelo padrão de beleza europeu presente em todos os lugares que caminham. E, se você quiser conhecer mais destas histórias, nos acompanhe por aqui.
— 
* Pedagoga/Professora da alfabetização da Rede Pública de Belo Horizonte/ Minas Gerais, Especialista em Mídias na Edudação e mestranda em Educação e Docência

Referências bibliográficas

BRASIL. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2018. Censo demográfico: População por cor ou raça. In: IBGE. Sidra: sistema IBGE de recuperação automática. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/6403. Acesso em: jul. 2020

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project