DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

FPF decreta "um minuto de silêncio" por Fernando Chalana em todos os jogos 10 Agosto 2022

O antigo futebolista Fernando Chalana morreu hoje aos 63 anos. Grande ídolo nas décadas de 1970 e 1980, representou o Benfica durante 13 épocas. O Europeu de França deu-o a conhecer ao mundo, e Chalana rumou a Bordéus na transferência mais cara do futebol francês.

FPF decreta

Chalana, natural do Barreiro, onde nasceu no dia 10 de fevereiro de 1959 é "um dos grandes e eternos nomes da mística do Sport Lisboa e Benfica. Ingressou no clube aos 15 anos e representou-o, primeiro como jogador, durante 13 épocas (1974-1984 e 1987-1990), e depois, durante largos anos, como elemento técnico ligado ao futebol", lê-se no comunicado do clube vermelho.

O comunicado destaca que, no dia 7 de março de 1976, Mário Wilson — num jogo em casa com o Farense — lançou o qualificado extremo Fernando Chalana então "com apenas 17 anos e 25 dias". "Até àquela data, nunca ninguém tão jovem havia atuado na primeira-divisão portuguesa".

Barreiro viveiro

Antes desse estrelato, desportivo e social, Fernando Albino de Sousa Chalana notabilizou-se no Barreirense, ’viveiro’ de uma geração de ouro no Benfica, onde se tornou um dos maiores do futebol português.

Em 1974 dizia-se que o Sporting também estaria na corrida para contratar o juvenil Chalana. Venceu o Benfica que pagou ao ’viveiro’ Barreirense 750 mil escudos.

A irreverência e velocidade definiram Chalana, que duas épocas depois se tornou o jogador mais jovem a estrear-se na primeira-divisão.

Com dois jogos como suplente utilizado pela equipa campeã nacional, Chalana passou na época seguinte (1976/77), com o SLB campeão, a ser o segundo jogador mais utilizado, apenas atrás de Nené.

Chalanix

Acompanhado pela também mediática Anabela, sua esposa, o "pequeno português de 1,65 metros" Chalana em Bordéus ganhou a alcunha de ’Chalanix’ — em decalque ao também bigodudo Astérix, o pequeno gaulês invencível —, mas sem que conseguisse mostrar a ’genialidade’ que lhe valeu o contrato de 300 mil contos (um milhão e meio de euros, equivaleria hoje a 3 milhões de euros).

Em França sofreu sucessivas lesões e não conseguiu em três épocas jogar o suficiente — apesar de um título de campeão francês.

Regressou ao Benfica, mas durante as três épocas seguintes não brilhou e ’fechou’ a carreira enquanto jogador no Belenenses (1990-91) e Estrela da Amadora (1991-92).

Antes de se retirar por doença, figura no Benfica "como elemento técnico ligado ao futebol", lê-se no comunicado do clube vermelho.

Fontes: A Bola TV/FranceFootball/EFE... Fotos: Ao alto, a mediática Anabela Chalana que faleceu de cancro, em maio de 2017, aos 63 anos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project