DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Federação russa de futebol decide em 27 de dezembro se troca Europa pela Ásia 26 Dezembro 2022

A Rússia vai decidir em 27 de dezembro se opta por deixar de integrar a UEFA e passa a competir na Confederação Asiática de Futebol (AFC), adiantou hoje Alexandr Diukov, presidente da Federação Russa de Futebol (UFR).

Federação russa de futebol decide em 27 de dezembro se troca Europa pela Ásia

"A entrada na AFC permitirá que as nossas seleções e clubes voltem aos torneios oficiais. A decisão é complicada e controversa", admitiu em conferência de imprensa Alexandr Diukov, informando que a "decisão final" será tomada na reunião da comissão executiva da UFR na próxima terça-feira.

O futebol russo está excluído de todas as competições internacionais devido à guerra na Ucrânia, tendo a seleção principal sido afastada do Mundial2022, no Qatar.

"Podemos esperar? Quanto tempo podemos esperar? A Inglaterra esperou cinco anos? Se eles nos disserem um prazo específico, organizaríamos uma votação e votaríamos se estivéssemos dispostos a esperar cinco anos. Mas 10 ou 15 anos?", disse o dirigente da UFR.

Segundo Diukov, "a grande maioria dos clubes" russos apoia a mudança para a AFC, até porque a UEFA, organismo que rege o futebol europeu, vai manter as sanções ao futebol russo enquanto dura o conflito na Ucrânia.

"Não vemos a luz no fim do túnel. Neste momento, a AFC está disposta a aceitar-nos. Até agora, ninguém esteve disposto a dar-nos uma garantia por escrito, mas eles estão dispostos a estudar a nossa candidatura. A possibilidade de que eles nos aceitem é mais do que alta", salientou Diukov, acrescentando que sabe que a FIFA "não se vai opor" à mudança para a AFC.

O responsável vincou que a decisão deve ser tomada até 31 de dezembro, já que é a única opção para a Rússia poder participar na fase de qualificação para o Mundial de 2026, que será disputado nos Estados Unidos, México e Canadá.

"O atraso de alguns dias na tomada de decisão significará que o futebol nacional pode perder quatro anos", explicou Diukov, que já recebeu o aval do ministro do Desporto russo, Oleg Matitsin.

Ao mesmo tempo, Diukov negou que, se decidir a favor da Ásia, as portas da UEFA estarão fechadas "para sempre", embora tenha admitido que a Rússia não poderá voltar à Europa tão cedo quanto deseja.

A seleção russa fez o seu último jogo oficial há um ano, quando perdeu com a Croácia, derrota que a condenou ao ’play-off’ do Mundial, que nunca chegou a disputar devido à invasão militar na Ucrânia.

Desde então, a equipa comandada por Valeri Karpin só conseguiu realizar três jogos particulares contra seleções da Ásia Central desde setembro: Quirguistão, Tadjiquistão e Uzbequistão.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project