Festival

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Festival de Santa Maria: Atrasos obrigam transferência de Kino Cabral e Dynamo para segundo dia do certame 17 Setembro 2022

A chegada tardia do barco que transportava os principais equipamentos para a montagem do som do Festival de Santa Maria 2022 levou a um atraso considerável no início desta tão esperada festa da música. O relógio aproximava-se das 24 horas desta sexta-feira,16, quando finalmente se ouviram os primeiros acordes musicais no areal da Praia de Santa Maria de Cabo Verde.

Festival de Santa Maria: Atrasos obrigam transferência de Kino Cabral e Dynamo para segundo dia do certame

Por esse motivo, os artistas inicialmente previstos para atuar no primeiro dia, sexta-feira, Kino Cabral e Dynamo foram transferidos para este sábado, 17.

Ao A Semana, os artistas, na sua grande maioria, queixaram-se da má qualidade do som e explicaram que não se conseguiam ouvir bem, e por isso, desconhecem como a sua voz terá chegado até ao público desta 30ª edição do festival internacional de música de Santa Maria.

É que, com os atrasos na chegada dos equipamentos, não foi possível a realização do check sound e os músicos foram obrigados a atuar sem o teste dos instrumentos e dos microfones.

O artista Mário Marta, de origem cabo-verdiana e guineense, disse ao Asemanaonline que “o festival deveria ter sido preparado com mais preceito”. “É possível que corra muito melhor se apoiarmos mais os artistas locais, o tradicional, o folclore. Aí podemos evoluir muito mais”, opina.

O grupo Sal Grosso que abria o festival também não mereceu a transmissão Livestreaming, pois apesar dos atrasos a iniciar, não houve sinal na emissão durante a hora de show em que atuaram Silvia Medina, Sadia Youssouf, Clóvis Davero, Lizender Medina, Alcione Alcy, Litocoolio Andrade e Sandro Pimentel.

O sinal ainda não estava preparado para a emissão e igualmente o camarim das vozes locais aparentava não ter sido limpo ou equipado pelo que os integrantes deste coletivo de vozes da ilha do Sal não esconderam o seu descontentamento e lembraram à organização da necessidade de respeitar também os artistas locais.

Já o sol ia alto quando os Ferro Gaita, o último grupo do primeiro dia do Festival subiu ao palco e muitos festivaleiros já se tinham rendido ao cansaço e abandonado o areal. Ao mesmo tempo famílias com crianças chegaram, aparentando um frescor motivado por uma noite bem dormida.

Hoje sábado, a festa da música internacional mais famosa da ilha do Sal continua, espera-se, com menos atrasos e melhor qualidade sonora para abrilhantar ainda mais o festival que regressa ao areal de uma das mais belas praias do país, após dois anos de interregno forçado devido à pandemia de covid-19.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project