ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo: A celebração não é ponto de chegada nem objectivo que se contenta com si mesmo – PR 12 Julho 2022

A celebração não é ponto de chegada nem objectivo que se contenta com si mesmo, defendeu hoje o Presidente da República, José Maria Neves, na sessão solene comemorativa dos 100 anos da cidade de São Filipe.

Fogo: A celebração não é ponto de chegada nem objectivo que se contenta com si mesmo – PR

José Maria Neves, que é o presidente de honra das comemorações do centenário da cidade de São Filipe, enquanto cidade, advogou que era importante que as celebrações se traduzissem num ganho para a cidade e a para a ilha, nomeadamente, ganho de maturidade institucional, na capacidade de articulação intra e interinstitucional e na mobilização de vontades, sobretudo na vontade política e colectiva de desejar e projectar novos ciclos de progresso para a cidade, município e a ilha.

Estamos aqui todos a ser parte de um novo ciclo. Celebrar cem anos é abrir um sem número de oportunidades, de desafios a vencer. É reacender o orgulho de ser cada vez mais São Filipe Cidade”, destacou o mais alto magistrado da nação.

Segundo o mesmo este espaço que, desde há cem anos, é a cidade de São Filipe, rico em referências históricas é um lugar prenhe de memórias, bem como uma referência incontornável na formação da Nação cabo-verdiana.

O contributo desta urbe para a formação desta comunidade de destino que somos é extraordinário. E é admirável a forma como os são-filipenses têm sabido ser guardiões dessa memória, contribuindo activamente para a preservação da identidade nacional”, pontuou o Presidente da República, para quem o elevado espírito de cidadania cultural e patrimonial é o garante e porventura a forma mais eficaz de se manter uma cidade, sublinhando que Fogo é berço de grandes figuras.

José Maria Neves salientou que é hora de lançar luz ao conhecimento sobre as mulheres que ajudaram São Filipe a percorrer este caminho jovem de cem anos.

Por outro lado, referiu que a ilha do Fogo é muito ciosa da sua memória e que o cuidado na preservação do passado e da memória colectiva segue a mesma preocupação dos historiadores.

“A trajectória autoriza-nos a um balanço positivo sobre os ganhos e uma reflexão optimista quando perspectivamos os próximos anos. São Filipe e o Fogo estão preparados para ganhar o futuro. Nesta cidade e nesta ilha está gente empreendedora, resiliente, de uma persistência capaz de ir até ao limite”, enfatizou.

A mesma fonte lembrou ainda que a criação da perspectiva de futuro tem por base alguns questionamentos, designadamente, quais os recursos para que a ilha seja articulada como uma unidade territorial relevante para o desenvolvimento do todo nacional, observando que a ilha tem tudo para ser um polo dinamizador do progresso nacional, já que as potencialidades existentes são imensas e há que saber aproveitá-las.

Por outro lado, sublinhou que a ilha e a região revelam-se atractivas, tanto para o investimento nacional, como o estrangeiro e defendeu a criação das condições para que os mesmos possam efectivar-se, com destaque para o investimento dos nossos emigrantes.

Pela sua imensa diáspora, pelos seus recursos e vocação, o Fogo pode servir de laboratório para aquilatar sobre o contributo desses nossos compatriotas para a ilha e para Cabo Verde. São Filipe e toda a ilha do Fogo podem ajudar Cabo Verde a desfrutar melhor da nossa diáspora e a ser na verdade um bom Estado com diáspora”, referiu.

Para o Presidente da República a preservação do património construído é outro aspecto que merece ser realçado, observando que a “cidade dos Sobrados” merece destaque, pela positiva, e deve servir de exemplo para os demais centros urbanos históricos.

Para o Presidente da República, São Filipe tem tudo para ser património da humanidade, mas é necessário assumir isso como um desígnio nacional e agir em consequência, tendo formulado votos para que a cidade de São Filipe, e a ilha do Fogo, continuem a trilhar os caminhos do desenvolvimento, com projectos estruturantes e que a “teimosia” e a ambição de sempre continuem a fazer chegar o progresso e o bem-estar, de forma permanente, a todos os são-filipenses e a todos os foguenses.

O Presidente da República foi condecorado com a medalha da cidade centenária e foi presenteado com um quadro seu que a Câmara Municipal de São Filipe mandou pintar através do artista plástico, Djudjé, radicado nos Estados Unidos da América.

A festividade do centenário continua e esta tarde está prevista a abertura de uma feira de livros e à noite a gala especial com vários artistas como Tito Paris, Bau, Assol Garcia, Jorge Sena, entre outros. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project