CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo: Administração da Águabrava preocupada com precário abastecimento de água à ilha Brava 10 Mar�o 2021

O Conselho de Administração da Empresa Intermunicipal de Águas, Águabrava, mostra-se preocupado com a “precária” situação de abastecimento de água às populações da ilha Brava. Entretanto promete resolver este problema através do desenvolvimento do projeto de instalação de dessalinização de água do mar, prevendo a produção de 300 metros cúbicos de água/dia.

Fogo: Administração da Águabrava preocupada com precário abastecimento de água à ilha Brava

Conforme a Inforpress, o órgão da empresa, que esteve reunido esta segunda-feira, 08, na cidade de São Filipe afirmou que a situação se mantém na ilha, já que a produção de água, neste momento, só satisfaz metade da demanda das necessidades de água para o consumo humano.

Segundo o administrador/delegado, Rui Évora, a “precária” situação de abastecimento, é uma realidade, apesar de alguns ganhos, sobretudo no aumento, não muito relevante, da produção de água de 260 metros cúbicos para cerca de 300 metros cúbicos/dia.

Outro ganho apontado pelo responsável da Águabrava foi a colocação de um autotanque na ilha para garantir o reforço de abastecimento de água, a assunção, por parte da empresa, da gestão de produção e distribuição de água a partir da nascente de Ferreiro para abastecer as comunidades de Lomba, Tantum e Palhal, permitindo assim, passar de um fornecimento irregular, duas a três vezes por semana, para um fornecimento de água contínuo neste momento.

Entretanto, os membros do CA alertaram a Águabrava a continuar a fazer esforços para melhorar a situação de abastecimento naquela ilha, através do desenvolvimento do projecto de instalação de dessalinização de água do mar, projecto esse, financiado pela Cooperação Luxemburguesa e pelo Governo de Cabo Verde e que prevê a produção de 300 metros cúbicos de água/dia, “elevando assim, a disponibilidade para 600 metros cúbicos/dia, sendo o sistema alimentado exclusivamente por energia fotovoltaica, o que irá contribuir para a melhoria das condições de fornecimento de água à população da Brava”, segundo escreve a Inforpress.

Rui Évora indicou que o financiamento do projeto de dessalinização está garantido pela Cooperação Luxemburguesa e que o processo preliminar para execução da empreitada encontra-se praticamente concluído. “Estão criadas todas as condições para que a execução física se inicia ainda no decurso deste ano”, sublinhou, citado pela nossa fonte, acrescentando que associado a este empreendimento para Brava, prevê-se a construção de uma estrada de acesso à zona de instalação do sistema de dessalinização, estando o processo avançado e em negociação com a empresa que deverá executar a obra.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project