SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo: Câmara de Santa Catarina mobiliza parceiros para combater trabalho infantil em Chã das Caldeiras 29 Julho 2021

Uma equipa multidisciplinar integrando várias instituições está a trabalhar para resolver o problema de trabalho infantil das crianças de Cabeça Fundão e Chã das Caldeiras, no município de Santa Catarina do Fogo.

Fogo: Câmara de Santa Catarina mobiliza parceiros para combater trabalho infantil em Chã das Caldeiras

Segundo escreve Inforpress, o presidente da câmara de Santa Catarina do Fogo, Alberto Nunes, disse que esta instituição se reuniu quarta-feira com a coordenação do Parque Natural do Fogo (PNF), a delegação do Instituto Cabo-verdiano da Criança e Adolescente (ICCA) e um jovem de Chã das Caldeiras, para apresentar e estabelecer possíveis parcerias e colaboração para combater o trabalho infantil na entrada do Parque Natural do Fogo.

Dezenas de crianças e adolescentes de Cabeça Fundão e Chã das Caldeiras vendem, na entrada do PNF, produtos artesanais a base de lavas vulcânicas, mas também para pedir dinheiro às pessoas que visitam Chã das Caldeiras, disse Alberto Nunes, salientando que não se trata de uma prática que aconteça apenas nas férias escolares, mas durante todo o ano, embora com maior número no período de férias.

Alberto Nunes disse que um jovem de Chã das Caldeiras apresentou uma proposta e com a envolvência das outras instituições, igualmente preocupadas com a situação, pretendem encontrar alternativas para tirar as crianças desta situação, refere a notícia avançada pela Inforpress.

A delegação do ICCA considera de preocupante a situação tendo em conta o número de crianças que estão a confeccionar e a vender produtos artesanatos e quer o engajamento de todos para parar este fenómeno, já que muitas vezes o trabalho é feito na presença dos próprios pais, e, por isso, no quadro do projecto social “Amor Fati” esta instituição, em parceria com as demais, pretende combater esta problemática que, além de considerada de ilegal, prejudica o desenvolvimento psicossocial da criança.

Conforme a mesma fonte, na sequência do encontro de quarta-feira entre os parceiros, segundo Alberto Nunes, saiu a ideia de criar um plano emergencial para tirar as crianças desta situação de venda de produtos e de pedir dinheiro aos visitantes, sublinhando que o objectivo dos dois centros de produção e comercialização de produtos de artesanato, sendo um em Cabeça Fundão e outro em Chã das Caldeiras.

“Com a montagem dos centros vamos proibir a venda dos produtos na rua e criar assim as condições para tirar as crianças desta situação”, advogou o autarca de Santa Catarina do Fogo.

Inforpress explica que, a mesma fonte apontou que a câmara disponibilizou todos os elementos do Gabinete Social, incluindo o vereador da área, que conjuntamente com os elementos identificados pelos parceiros vão integrar a equipa responsável pela elaboração do projecto, nomeadamente da ficha de projecto visando a mobilização de recursos para a montagem dos dois espaços, criando assim alternativas antes de poder tomar as medidas necessárias.

Até ter os centros a funcionar, uma equipa estará no terreno a fazer sensibilização para quando tiver tudo pronto as crianças possam deixar de vender os produtos de artesanato nas ruas.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project