SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo: “Cenário em Santa Catarina é de autêntica catástrofe em decorrência do mau ano agrícola” – Alberto Nunes 20 Outubro 2021

O presidente da Câmara de Santa Catarina do Fogo, Alberto Nunes, classificou de “autêntica catástrofe” o cenário no seu município em decorrência do mau ano agrícola.

Fogo: “Cenário em Santa Catarina é de autêntica catástrofe em decorrência do mau ano agrícola” – Alberto Nunes

“Apenas a localidade de Tinteira (norte) tem a possibilidade de alguma produção, mas não ultrapassa os dez por cento (%), o resto é uma catástrofe. Estamos a elaborar um plano de emergência para mitigar os efeitos do mau ano agrícola que deverá ficar concluído ainda esta semana”, disse Alberto Nunes, à Inforpress.

Segundo a mesma fonte, o representante da delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente no município de Santa Catarina do Fogo já percorreu o município “de lés-a-lés” e que o retrato que fez sobre o ano agrícola é de que a situação “é extremamente complicada em produção” para as famílias que vivem da agricultura.

Com relação a pasto, Alberto Nunes disse que existe “alguma produção”, mas que é também “insignificante” para um município com “grande número de efectivo pecuário”, sobretudo caprino, sublinhando que mesmo assim é necessário fazer, agora, a sua recolha, porque se deixar para Novembro corre-se o risco de perder o pouco que existe.

Segundo o mesmo, é preciso incentivar a recolha para aproveitar o pouco que existe de modo a prolongar possíveis apoios da câmara e do Governo para mais tarde, possivelmente a partir de Março de 2022.

Para as famílias que vivem de agricultura a autarquia espera que o Governo, através do Ministério da Agricultura e Ambiente, possa canalizar algum recurso para fazer face à situação, através de criação de postos de trabalhos, tendo a edilidade alistado algumas intervenções a nível do município, cita Inforpress.

Alberto Nunes desloca-se hoje à Cidade da Praia para a assinatura de um contrato-programa no âmbito do Fundo do Ambiente e estabelecer alguns contactos com membros de Governo, sobretudo no quadro da preparação das festividades do Dia do Município, que se celebra a 25 de Novembro.

Quanto ao Fundo do Ambiente, disse que o valor a ser disponibilizado ao município nos próximos três anos para projectos ligado a sector do ambiente ronda os 40 mil contos, mas quer mobilizar uma parte para este e para o próximo ano.

Segundo a mesma fonte, para tal o município já apresentou todos os projectos visando também a criação de emprego público para mitigar a seca e mau ano agrícola.

De entre outras intervenções, Alberto Nunes apontou a protecção de áreas degradadas no âmbito da extracção ilegal de jorra, construção de praças, pracetas e criação de espaços verdes em várias localidades, protecção de espécies marinhas, limpeza de praias e saneamento a nível das diferentes localidades.

Em relação às festividades do dia do município, o autarca avançou que foi criada uma comissão encarregada de apresentar, “o mais tardar até início da próxima semana”, uma proposta sobre artistas e mudança de espaço, que, segundo o mesmo, passará a ser no largo de campo de futebol, o que exige alguns investimentos na criação das condições para a realização das festas, refere a notícia avançada pela Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project