ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo/Dia do Município: Economista João Mendes é o mordomo das festas da Bandeira de São Filipe 2023 01 Maio 2022

O economista João Mendes, descendente da ilha do Fogo e residente, há 37 anos, na Cidade da Praia, é mordomo das festas da Bandeira de São Filipe 2023, apoiado pela Casa das Bandeiras.

Fogo/Dia do Município: Economista João Mendes é o mordomo das festas da Bandeira de São Filipe 2023

Segundo revela a Inforpress, João Mendes, que foi festeiro há quatro anos, voltou a ser festeiro da Bandeira de São Filipe depois de sair de uma situação grave de saúde, observando que não fez nenhuma promessa em concreto, mas como lhe disseram que os seus trabalhadores fizeram promessas neste sentido e não estando nenhum na ilha a cumprir a promessa, talvez por dificuldades. vai ajudá-los a cumpri-la.

O festeiro de 2023, nasceu na ilha de São Vicente, sendo o pai da ilha da Boa Vista e mãe da ilha do Fogo, observando que a maior parte da família é da ilha e que tem uma ligação “muito forte” com o Fogo.

O administrador da Casa das Bandeiras, Henrique Pires, que não marcou presença nas cavalhadas no Alto de São Pedro, pela primeira vez, em três décadas, indigitando Alexandre Nuno Pires para representar a Casa das Bandeiras, disse que o festeiro tem uma promessa e está acompanhado da Casa das Bandeiras, que o vai apoiar na realização da festa de 2023, o que significa que será ele mais a Casa das Bandeiras os festeiros.

Conforme a mesma fonte,com relação à festa de 2022, depois de dois de ausência devido a pandemia, Henrique Pires disse que foi “uma grande festa” e espera que para o próximo ano o festeiro com ajuda da Casa das Bandeiras possa organizar e realizar uma festa igual ou superior a deste ano, porque, explicou, “todos os anos a festa tem sido maior que a do ano anterior”.

A cavalhada, que arrasta milhares de pessoas de diferentes pontos da ilha, este ano não teve o brilho dos anos anteriores, e era visível a desorganização e o atraso nas atividades.

Sobre esta matéria, Henrique Pires disse que “há uma tendência para as cavalhadas desaparecerem da festa de Bandeira se a organização das corridas de cavalos para prémios não tomar as medidas necessárias com cavalos que participam da corrida”.

Segundo o mesmo, “os donos dos cavalos querem só facturar e ganhar prémios e o resto não tem”, adiando que se fosse ele a dirigir a corrida de cavalos, os cavalos premiados que não participassem das cavalhadas não receberiam os prémios.

O representante da Casa das Bandeiras nas cavalhadas, Alexandre Nuno Pires, referiu que o festeiro de 2023 é um familiar filho de uma foguense que conseguiu sobreviver a uma doença grave e fez questão de vir ao Fogo para celebrar a festa de São Filipe 2022 e também “tomar a bandeira” para organizar a festa do próximo ano, esperando que “continue com mais força” para que a festa de 2023 seja ainda maior.

As cavalhadas que contaram com a participação de apenas três cavalos, o menor número de que há memória, facto que retirou o brilho a esta actividade, terminou por volta das 19:30 com a passagem da bandeira do festeiro de 2022, a câmara municipal de São Filipe, para o festeiro de 2023, João Mendes, acompanhado da Casa das Bandeiras, conclui a fontr frdtr jornal.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project