CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo/Festa São Filipe: Trio da embarcação “Djenifa” vencedor da regata de botes marcada pela fraca participação 26 Abril 2019

A embarcação de boca aberta “Djenifa” tripulada por Raul Lopes, António Fontes e João Miranda, foi a vencedora da edição de 2019 da regata, entre porto de Vale dos Vavaleiros e praia de Fonte Bila.

Fogo/Festa São Filipe: Trio da embarcação “Djenifa” vencedor da regata de botes marcada pela fraca participação

Conforme a Inforpress, à semelhança do ano passado, esta prova que se enquadra nas festividades do Dia do Município e da Bandeira de São Filipe, contou com quatro embarcações (igual número da edição de 2018), participação que foi considerada de “fraca” por parte de muitas pessoas que se deslocaram à praça do Presídio e redondezas para assistir a prova.

A embarcação Djenifa, cujo um dos tripulantes conhecido por Dampa, habitual vencedor desta prova, não facilitou a concorrência e chegou ao local definido como meta de chegada com algum conforto em relação ao segundo classificado, a embarcação de nome “Linguarada de Lém” tripulada por Paulo Mendes, José Monteiro e Valdemiro Amado.

Na terceira posição classificou-se a embarcação “Edmilson”, cujo trio era constituído por Sidney Gomes, Victor de Pina e Victor Teixeira, e na quarta e última posição chegou a embarcação “Três Irmãos” tripulada por Fábio Teixeira, Manuel Barbosa e Manuel Centeio.

As três embarcações primeiras classificadas têm direito a prémio monetário, sendo que para a vencedora o valor ronda os 20 mil escudos, mas todas as embarcações, à semelhança dos anos anteriores, que ficaram fora do pódio, têm direito a prémio de participação.

Na tarde desta quinta-feira, a comissão de corrida de cavalos teve agendado uma reunião com os proprietários e jockers para a realização do sorteio das provas, nomeadamente de cavalos de terra que se realiza esta sexta-feira, com um total de seis cavalos. São os casos de Ciclone (Santo Antão), Nero (Sal) e Philadelphia, CR7, Vulcão e Eva (Fogo) e 12 cavalos de puro sangue (PS) ou estrangeiros, cuja primeira fase se realiza no sábado, sendo que dez cavalos são da ilha do Fogo: Armando Cunha, Preto, Anak, Rolex, Criston, Furacão, Zaffa, Dom Pablo, Lura e Tripolia, um da ilha do Sal (Invasor) e outro de São Vicente (Airley).

Segundo a mesma fonte, o cavalo Furacão poderá não participar na prova porque, segundo informações da comissão da corrida, estava com problemas de saúde e apesar de ter sido acompanhado nos últimos dois dias por técnico veterinário não se sabe se estará operacional para a prova que se realiza no sábado,27.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project