POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo: Líder da bancada municipal do MpD em São Filipe pede substituição de dirigentes de instituições públicas, vozes críticas contestam partidarização do Estado 26 Agosto 2018

O líder da bancada municipal do MpD (situação) em São Filipe, José Henrique Andrade, quer ver substituídos os dirigentes de algumas instituições públicas na ilha do Fogo, por estes não serem afectos ao MpD, partido do Governo. Este posicionamento de Andrade caiu, segundo apurou este jornal no Fogo, que nem uma bomba junto de vozes criticas da sociedade civil, para as quais só reforça a tese da partidarização da administração pública inaceitável num estado de Direito Democrático como Cabo Verde, mas que o seu partido prometeu combater durante a última campanha eleitoral.

Fogo: Líder da bancada municipal do MpD em São Filipe pede substituição de dirigentes de instituições públicas, vozes críticas contestam partidarização do Estado

Numa publicação efectuada na sua página do Facebook e dirigida aos governantes, tanto centrais como locais, José Henrique Andrade afirmou, segundo reporta a Inforpress, que há na ilha do Fogo instituições públicas representadas por pessoas que votaram contra o Movimento para a Democracia (MPD) nas últimas eleições legislativas e autárquicas respectivamente.

José Henrique Andrade exemplifica os casos da Água Brava, Gabinete de Desenvolvimento Regional Fogo e Brava, Delegação do ICCA, Delegação da Electra, IEFP-Fogo “e outros”.

“Muitos deles (os dirigentes) foram apanhados na posse de centenas de bilhetes de identidade e outros tantos foram surpreendidos a comprar votos à luz do dia”, escreveu.

Segundo ainda a Inforpress, aquele responsável político prosseguiu afirmando que se trata de “homens e mulheres que, de forma vergonhosa ilegítima, continuam a governar e a executar, de forma medíocre e eleitoralista, os projectos e programas do Governo do MpD”.

José Henrique Andrade defendeu, entretanto, que a governação deverá ser direccionada para todo o povo cabo-verdiano, mas, avisa que os “cargos de confiança não devem ser reservados para pessoas deste estirpe”.

A mesma fonte afirmou que “urge mudar, sob pena de o MpD não merecer a confiança dos foguenses nas próximas eleições que se avizinham”.
“Estamos a ser mais “papista” do que o próprio Papa de Roma, quiçá, mais Franciscano do que o Papa Francisco”, finalizou.

Reações e caso Filipe Santos

Entretanto, este posicionamento do líder da bancada municipal do MpD (situação) em São Filipe, José Henrique Andrade, caiu, segundo apurou este jornal no Fogo, que nem uma bomba junto de vozes criticas da sociedade civil, para as quais só reforça a tese da partidarização da administração pública inaceitável num estado de Direito Democrático como Cabo Verde, mas que o seu partido prometeu combater durante a última campanha eleitoral.

Para um ouvido na cidade dos sobrados, este discurso alegadamente radical de Henrique junta-se ao do seu colega Filipe Santos, que lançou, na qualidade de deputado, suspeitas de a oposição estar a programar assalto ao parlamento e raptar pessoas. «Porque os dois são do MpD e do mesmo concelho, espero que não façam escola com tais discursos um tanto ao quando antidemocráticos», conclui o interlocutor do ASemanaonline.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project