POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo: Líder do GPAIS pede apoiantes para abraçarem o projecto “Unidos por São Filipe” do PAICV 12 Agosto 2020

O líder do Grupo Por Amor Incondicional a São Filipe (GPAIS), Luís Pires, apoia a candidatura do PAICV nas próximas eleições autárquicas e pede aos apoiantes a fazerem o mesmo.

Fogo: Líder do GPAIS pede apoiantes para abraçarem o projecto “Unidos por São Filipe” do PAICV

Numa conferência de imprensa, Luís Pires comunicou a sua decisão de abraçar uma nova missão e contribuir para uma maior mobilização possível de São Filipe, à volta de “um novo e promissor projecto autárquico”, liderado por Nuias Silva (câmara) e Luís Nunes (assembleia).

“Faço-o de coração aberto e isso me enche de um prazer enorme! Faz parte da minha natureza, fazer o bem. Por isso, imploro a todas e a todos que amam São Filipe a fazerem o mesmo”, disse, segundo a Inforpress, Luís Pires, pedindo aos seus apoiantes a abraçarem com ele “este projecto épico sob o lema Unidos por São Filipe”.

Luís Pires mostrou-se orgulhoso de ter liderado as vontades da sociedade civil, quando era necessário e de manter a sua identidade ideológica e que na qualidade de “homem de esquerda” colocou o povo em primeiro lugar.

O líder do GPAIS enquanto professor, vereador, delegado da Educação, presidente da Assembleia Municipal, presidente de Câmara e Presidente da Associação dos Municípios do Fogo e Brava, ajudou, segundo o mesmo, a imprimir uma “reconhecida dinâmica ao processo de desenvolvimento de São Filipe e da ilha do Fogo, com novos e grandes projectos, mobilizando avultados recursos e valorosos parceiros, nacionais e internacionais”.

Este indicou que foi por amor e generosidade que arriscou tudo o que tinha, em 2016, para preservar a sua honra e dignidade, tendo conseguido, em situações adversas, 22 por cento (%) do eleitorado, um resultado considerado histórico, sobretudo numa ilha partidarizada, onde não há espaços para aventuras independentes.

Mas Luís Pires advogou que na “política e na vida não se marcam passos, dão-se passos” e que neste momento sente que está no caminho certo para trazer de volta a unidade que São Filipe precisa, adiantando que “o município está a correr sérios riscos e é preciso salvá-lo”.

“Temos que agir rapidamente. Já são visíveis alguns sinais de estagnação e de retrocesso e há sérios riscos de se adiar São Filipe”, defendeu o líder do GPAIS, indicando que para o cumulo, não há projectos estruturantes, nem para o município, nem para a ilha e os encontrados em 2016 ou estão parados ou não têm data de conclusão.

“É por estas razões objectivas que, generosamente, decidi abraçar esta missão de unir São Filipe, abrindo espaços para a renovação do pensamento autárquico, com novas lideranças, protagonizando uma nova visão para estes novos tempos”, referiu Luís Pires para quem com as novas lideranças as transformações iniciadas em São Filipe vão continuar, esperando ver concretizados os grandes projectos para ter um São Filipe mais moderno e competitivo, mais desenvolvido e com oportunidades para todos, conclui a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project