CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo: Projecto de electrificação de Chã das Caldeiras com energias renováveis entre os sete seleccionados para atribuição do premio Grant USAID 13 Setembro 2019

O programa de electrificação de Chã das Caldeiras com energias renováveis consta da lista dos sete projectos escolhidos para atribuição do prémio Grant USAID (United States Agency of International Development), disse à Inforpress um dos promotores Jorge Andrade Nogueira.

Fogo: Projecto de electrificação de Chã das Caldeiras com energias renováveis entre os sete seleccionados para atribuição do premio Grant USAID

O projecto, elaborado através da plataforma “Green Mini Grid Help Desk”, foi um dos projectos premiados pelo Centro para as Energias Renováveis e Eficiência Energética da CEDEAO (ECREEE), no quadro da terceira edição do Fundo para as Energias Renováveis da CEDEAO (EREF 3), implementado pelo Banco Africano de Desenvolvimento, pela Energy 4 Impact (U.K) e Sustainable Fund for Africa e com suporte técnico da Inensus (Germany) em parceria com a Enerwhere.

O projecto de electrificação da localidade de Chã das Caldeiras, a única do município de Santa Catarina, que não dispõe de energia eléctrica, surge dentro dos objectivos SE4All (Energia Sustentável para todos) África Hub, executado no Programa de Desenvolvimento do Mercado GMG (GMG MDP) para facilitar a criação de um movimento GMG e possibilitar um ambiente de sustentabilidade em toda a África, disse o promotor à Inforpress.

O GMG/MDP, segundo o mesmo, faz parte do GMG Africa Program que está sendo financiado pelo Departamento para o Desenvolvimento Internacional do Reino Unido (DFID) para alcançar o acesso universal à energia moderna até 2030, como estabelece os objectivos da SE4All.

Em Dezembro de 2018, empresas públicas e privadas, estudantes e ONG dos de 14 países da Africa Ocidental foram convidados a submeter propostas de projectos, nomeadamente Benim, Burkina Faso, Cabo Verde, Gambia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Côte d’Ivoire, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Senegal, Serra Leoa e Togo, sendo que da parte de Cabo Verde apenas este projecto foi submetido, através das mais conhecidas plataformas de financiamento a nível mundial.

Mediante a qualidade do projecto e dos requisitos, como cinco anos de actividade, experiência ou existência de projectos do género, “developers”, volume de negócios e representação comunitária, foi seleccionado um total de sete projectos, de entre os quais o de Chã das Caldeiras, que vai receber 123 mil dólares (mais de 11 mil e 500 contos) a título do prémio “Grant”, montante que, segundo Jorge Andrade Nogueira, m vai ser utilizado para a compra de equipamentos, como painéis solares, bateria e o gerador (back-up).

O Project Development para o EPC (Engineering, Procurement e Contract) custou cerca de 3000 contos e todo o custo da sua implementação está avaliado a volta dos 23 mil contos cabo-verdianos, sendo que todas as despesas da elaboração dos projectos, viagens e toda a sua implementação são da completa responsabilidade da parceria AGROCOOPCHA – PAC (Programa de Acção Comunitária), uma empresa registada com o objectivo de desenvolver projectos Internacionais relacionados com Energias Renováveis e Sustentabilidade.

Jorge Andrade Nogueira agradeceu todos aqueles que contribuíram para aquilo que classificou de “importante conquista” por ser um projecto com características únicas e que vai ter um impacto enorme na vida dos residentes de Chã das Caldeiras, assim como a Agroocop, ao presidente da Câmara de Santa Catrina, Alberto Nunes (pela disponibilização de documentos tudo o interesse manifestando em ajudar a materializar o projeto).

Este dedicou este prémio à população de Chã das Caldeiras e a todos os foguenses de uma forma geral, estando a empresa disponível para visitar e arrancar, depois de Outubro, com a implementação do projecto, esperando contar com abertura e colaboração do Governo, através do departamento de energia para o mais rápido deste e de outros projectos para a ilha.

A AGROCOOPCHA e PAC (programa de acção comunitária), autora do projecto, são constituídas por quatro jovens foguenses radicados ou que viviam nos Estados Unidos da América, nomeadamente Domingos Tavares, Luisandro Gonçalves, Pedro Ramos e Jorge Andrade Nogueira.

O projecto, recorda-se, tem como objectivo fornecer energia e a sua distribuição para um total de 200 casas e 11 estruturas como escolas, restaurantes, unidades de produção local, estruturas sociais e também estabelecer uma tarifa social de mil escudos mensais para as famílias mais necessitadas, num total de 80 das 200 casas, contemplando pouco mais de 230 pessoas.

O projecto de electrificação de Chã será híbrido e vai combinar a produção SOLAR PV (24 kw), mais o Sistema de armazenamento de Energia (75 kwh) e mais Gerador de 16 kw, e todo o desenho do sistema foi elaborado pelo grupo Alemão, INENSUS, especialistas em Sistemas Mini – Grids, em parceria com a gigante Norte Americana, SUNPOWER, sendo que mais de 80 por cento (%) da energia será produzida através de fontes renováveis. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project